6 passos para criar um Design System para a sua empresa

Lívia Amorim
Nov 23, 2017 · 5 min read

Escalar práticas de design e fazer um sistema de design referência é o sonho de muitas empresas, especialmente aquelas que possuem produtos digitais e um time com diversas pessoas designers. Uma maneira de fazer esse crescimento acontecer de maneira escalável é através de um Design System.

Design Systems são o foco do momento quando o assunto é design de produto. Eles permitem clarificar princípios de design, linguagem visual e, inclusive, disponibilizar elementos de interface pré-configurados. Tudo isso facilita a criação de interfaces, além de garantir um padrão em tudo o que é feito.

Aqui na Resultados Digitais (RD), lançamos o nosso Design System recentemente. O Tangram Design System foi apresentado ao mundo na LIVE “Startup Cases em Design Systems”.

Apenas para dar uma linha do tempo, estou envolvida há quase um ano neste projeto. Além desse um ano, eu e as pessoas designers da RD pesquisamos desde sempre sobre processos e melhoria contínua em design, o que tem tudo a ver com o assunto. Um Design System não nasce da noite para o dia e, assim como qualquer coisa, não está pronto — e talvez nunca esteja, porque está em constante evolução.

Sem mais delongas, esse é um post que conta um pouco sobre a minha trajetória durante esse (longo) período, com diversos aprendizados e dicas para você que quer seguir por esse caminho.

1. Veja se um Design System é realmente necessário

Parece óbvio, mas não é. Muitas vezes caímos na cilada, tanto por hype quanto por ansiedade, de começar a fazer algo pela solução, sem verificar se aquilo resolve um problema real. Na RD, quando começamos o Tangram, já havia um estudo claro sobre os problemas de escala que assolaram o time de design e o produto como um todo.

Quando eu disse que o projeto do Tangram começou há quase um ano, não é como se estivéssemos fazendo lançamentos e criando padrões por um ano. A primeira etapa de tudo foi uma série de entrevistas (que eu sequer sabia que seriam parte de um projeto maior) para entender as dores do time de produto. Nessa época eu trabalhava full-time em um dos times de produto, e acabei fazendo as entrevistas “por fora” do planejamento. Apelidei o pseudo-projeto de Brownie e comecei a analisar o resultado das entrevistas. Somente com um estudo claro e com todo o problema validado é que começamos a esboçar uma solução — que, por acaso, viria a ser um Design System.

2. Venda a ideia

Não é todo mundo que sabe o que é um Design System e quais os seus benefícios para os processos de design. Esperar que as pessoas entendam por si só não funciona (e isso vale pra tudo nessa vida). Saber vender essa ideia e trabalhar o escopo de influência na empresa é primordial para qualquer mudança em qualquer lugar. Querendo ou não, a criação de um Design System tem um custo e, como quem vai custear isso é a empresa envolvida, faz todo sentido mostrar o valor da solução para os stakeholders.

Aqui na RD eu tive a ajuda do time de Product Operations para conduzir o processo de maneira clara, dentro do Escritório de Projetos, do início ao final do processo. O Mateus Bosa fez um post no Ship I! falando um pouco sobre essa experiência dele e sobre como ele ajudou várias pessoas de produto a tirarem suas ideias do papel.

3. Não comece fazendo, mas planejando

Agora que o problema foi validado e a solução vendida, você pode colocar a mão na massa! Mas não pense que é subindo uma aplicação, criando uma marca e fazendo mil componentes. O primeiro passo é planejar o escopo do Design System, que pode começar com um MVP (mínimo produto viável) fechado apenas para o time de design.

Para isso, defina o que é o Design System, qual a sua missão e objetivos. Uma boa dica é fazer uma Inception Enxuta (técnica presente no livro Direto Ao Ponto, do autor Paulo Caroli), para dar um pontapé inicial no projeto!

4. Pense no todo, mas faça aos poucos

Um Design System é um produto servindo produtos (CURTIS, 2016), e por isso precisa ser tratado como um. Assim como produtos geralmente têm roadmaps, um Design System também deve ter. Não precisa ser um roadmap definitivo com soluções a serem implementadas ao longo de três anos; mas é interessante ter uma lista de problemas a serem solucionados a curto prazo (um trimestre, por exemplo). Isso vai te ajudar a ter clareza do caminho a seguir.

Outra dica é usar metodologias de desenvolvimento, planejar sprints, fazer standup meetings e outras cerimônias, assim como qualquer outra equipe de produto. Seguir uma estratégia clara e ter cadência é a chave para o sucesso. Ninguém cria um Design System da noite para o dia.

5. Mostre resultados

Você já vendeu a ideia para a empresa, mas agora precisa mostrar o porquê de continuar o investimento em um Design System. Lembre-se: Design System não é um projeto com começo, meio e fim; mas um produto. Para isso, o ideal é mostrar os resultados atingidos desde o início do projeto, principalmente por meio de metas pré-estabelecidas. Se quiser alguns exemplos, o Nathan Curtis fez um post dando vários exemplos que seguem a metodologia de OKRs!

6. Envolva pessoas no processo

Não é porque você — muito provavelmente — é designer que você é sua pessoa usuária. Nem é porque seu público é interno que ele é menos importante. O Design System é criado para pessoas usarem, e essas pessoas devem estar envolvidas desde o início do processo de descoberta até o planejamento e coleta de resultados. Pesquise problemas e valide soluções com designers da sua empresa, desde o início do processo.


Neste post, não foquei em técnicas e tecnologias propositalmente, mas prometo fazer isso nos próximos! Desta vez, a ideia era trazer uma visão menos voltada ao hype e mais voltada ao business, incentivando vocês a tomarem decisões estratégicas e aumentarem o escopo de influência (de vocês e de todo o time de design). Design não é firula, e isso a gente mostra na prática. ;)


Agradeço imensamente ao meu gestor, Pedro Belleza, e ao Mateus Bosa, de Product Operations, por me ajudarem a construir todo o projeto e ter uma visão mais macro sobre tudo. Tenho certeza que o Tangram tem vários pais e mães. :)

UX Resultados Digitais

Experiências do time de design por trás do RD Station

Thanks to Fabiano Meneghetti and Josias Oliveira

Lívia Amorim

Written by

Product Design Lead @ QuintoAndar

UX Resultados Digitais

Experiências do time de design por trás do RD Station

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade