Como foi palestrar no Usabiliday Florianópolis — Edição 2017

O Usabiliday Florianópolis 2017 foi um evento promovido pelo IxDA que contou com o apoio da Resultados Digitais. Foi uma espécie de um esquenta que rolou pro Interaction South America Florianópolis 2017. A ideia de realizar o evento Usabiliday em Florianópolis partiu do nosso UX Manager, Pedro Belleza. O Pedro é um dos curadores do UX Conf que acontece anualmente em Porto Alegre, evento que já está indo para sua 3ª edição neste ano de 2017.

O convite para palestrar no Usabiliday surgiu a partir de uma provocação do Pedro para os designers de produto da RD: se alguém teria interesse em palestrar no Usabiliday Florianópolis. Como se não bastasse a responsabilidade em desenvolver uma palestra representando a Resultados Digitais, o interessado iria apresentar ao lado de grandes nomes como Giu Vicente (Head de UX na Softexpert), Luis Felipe Fernandes (UX Designer, Sócio da Handmade UX e Fundador e Professor na UX Academy) e João Paulo Villa Mello (Senior UX Designer na SocialBase).

Sem demorar muito aceitei a provocação. É realmente instigante promover a cultura de UX e palestrar ao lado de grandes nomes. Mas ao mesmo tempo foi um desafio enorme pois eu não tinha nenhuma palestra planejada para o evento e teria que preparar todo o conteúdo a partir de um tema, ainda a ser definido.

Quase 100 pessoas lotaram o auditório da Resultados Digitais em Florianópolis. Foto: Tiago Camargo.

A escolha do tema veio de uma conversa que tive com o Pedro Belleza e acabamos definindo em conjunto o conteúdo a ser abordado na palestra. O Pedro ajudou a construir uma temática que fazia bastante sentido ser apresentada no evento, principalmente estabelecendo uma relação entre o público e a relevância do tema para a própria Resultados Digitais. Pensamos de que forma poderíamos promover a cultura de UX e ainda instigar o público interessado em ter vontade de trabalhar na nossa empresa e fazer parte da equipe. A partir disto veio a ideia de falar sobre como comecei a trabalhar com OKR sendo UX Designer na RD: quais os desafios, oportunidades e aprendizados desse processo.

Comecei a trabalhar com OKRs, e agora?

Para este tema o nosso colega Leonardo Salvador fez um post incrível Definindo Metas Tangíveis com OKRs e com muita propriedade, aonde ele aborda o assunto em profundidade. Se você pretende conhecer um pouco mais sobre o tema sugiro ler o post dele também.

A minha ideia era muito mais dar um contexto. E também contar um pouco sobre a minha história como designer e como comecei a trabalhar com OKR. Foi legal também mostrar qual o impacto disto na vida, na forma que eu trabalho e como isto mudou a minha metodologia para medir e realizar as entregas dos projetos que desenvolvo. Procurei também trazer um pouco da experiência de quem trabalhava com agências para uma cultura orientada aos processos ágeis.

Então eu comecei contando um pouco sobre a minha história, o que me motivou a entrar para o curso de design e como eu cheguei até a Resultados Digitais. Principalmente como foi o direcionamento inicial da minha carreira que mais tarde teve o desdobramento de trabalhar com marketing digital e experiência do usuário. Mostrei também como a profissão mudou de nome algumas vezes durante esses anos que trabalho com design, marketing digital e interfaces digitais. Comecei trabalhando como Webmaster, depois fui chamado de Webdesigner (não gosto muito desta nomenclatura), também já atuei como Arquiteto de Informação e mais recentemente UX Designer. Mas em essência eu sou um designer — Keep things as simple as possible.

A evolução da profissão e as diferentes nomenclaturas para as especializações. Foto: Tiago Camargo.

No decorrer da minha carreira eu trabalhei muito na rotina de gestão de projetos, em paralelo às rotinas de gestão da empresa. Tínhamos que cuidar não apenas da empresa e dos funcionários, mas também continuar gerindo os nossos clientes e acompanhando o fluxo de projetos. Começaram a entrar projetos mais relacionados à produto. O primeiro produto digital que nós construímos foi um e-commerce em modelo SaaS. Foi bem difícil porque não tínhamos estabelecido um conceito de MVP, então haviam muitas dores para estimar o tamanho do épico, mensurar corretamente as entregas e acompanhar tudo o que a gente desenvolvia.

Ao longo da minha carreira como empreendedor experimentei muitas dores ao vender os serviços. E principalmente nos meios digitais é complicado estabelecer um processo de entrega que faz a correta relação entre o que o cliente comprou e o que está sendo entregue. No início foi bem difícil e tive que aprender como transformar nossos projetos em entregas lucrativas para a empresa, aliada à satisfação dos clientes.

A importância da formação acadêmica na minha evolução como profissional. Foto: Tiago Camargo.

Em 2016 eu entrei para o processo de seleção na Resultados Digitais, uma empresa que eu já admirava há bastante tempo e enxerguei uma imensa oportunidade de aprendizado e crescimento profissional. Queria aproveitar toda a experiência que eu tive em desenvolvimento de produtos de diversas áreas para focar no desenvolvimento de um único produto. Evoluí no processo de seleção e fui aprovado. Ao final pude constatar que existe uma régua bem alta de contratação aqui na RD, que exige esforço, dedicação e empenho.

Foi na Resultados Digitais que eu coloquei em prática algumas teorias que já estudava na pós-graduação a respeito de Scrum e Métodos Ágeis. Entrei num ambiente no qual toda a empresa já estava imersa nessa cultura. Dentro da estrutura de produto da RD temos diversos times que são responsáveis por diversas temáticas. A temática do meu time especificamente está relacionada a conversões: Landing Pages, Pop-ups e Formulários. No meu time eu sou o único designer. E aí que tive contato e pude viver a experiência em trabalhar com OKR como parte do meu processo de entregas, sendo eu o UX Designer de um time no desenvolvimento do produto.

E o que é OKR? (abreviação em inglês para Objetive Key Result)

Consiste em um método, um framework para definição de metas. E principalmente quando você trabalha num ambiente orientado para lideranças orgânicas, o OKR permite definir metas em conjunto para nortear nossas entregas e quais são as prioridades como time para os próximos meses.

Basicamente para estabelecer um OKR é preciso completar seguinte frase:

Eu vou ________ medido por ____________

O interessante dos OKRs é que eles podem ser compartilhados com toda a organização, com toda a empresa. Se já é difícil alinhar objetivos com equipes pequenas entre 5 a 10 profissionais, imagine numa empresa com quase 500 pessoas. Parece ser uma tarefa impossível. Ter OKR bem estabelecido e orientado para todo time / empresa ajuda bastante no processo de obtenção e atingimento de metas.

E pra que serve um OKR?

Serve como uma espécie de estímulo para que possamos medir de forma prática e tangível os nossos objetivos dentro da organização ou dentro do próprio time, melhorando continuamente as entregas. Eu posso traçar um objetivo, medir e acompanhar durante todo o processo para no final concluir se houve êxito no que pretendíamos realizar. Se deu tudo certo, beleza, deve ser comemorado. Se não conseguimos atingir os objetivos, precisamos extrair o máximo de aprendizados para melhorar a performance.

Mas na prática a gente vê que é possível, se a cultura é permeada por toda a empresa e se conseguimos comunicar corretamente os objetivos. E principalmente dentro de um time (ou de equipes enxutas) é importante definir, distribuir, medir o OKR e comunicar a evolução para toda equipe. O que eu quero dizer com isto? Mesmo que uma só pessoa seja responsável por reportar semanalmente ou mensalmente o desempenho do OKR, todo o time deve ter consciência que também é parte responsável por aquela meta. Desta forma fica mais fácil manter o alinhamento para que todos continuem orientados por um mesmo objetivo.

Um grande privilégio palestrar representando a Resultados Digitais. Foto: Tiago Camargo.

Aprendizados em palestrar para um grande público

Em primeiro lugar foi uma responsabilidade muito grande que eu abracei realmente de coração, me dediquei bastante para comunicar adequadamente nosso processo de OKR. Tentei demonstrar também como conduzimos a metodologia dentro do time e como isto afeta o nosso trabalho como designers.

Foi incrível a sensação de expor os pensamentos em público e vivenciar na prática como aquilo que expus influenciou de certa forma outros profissionais. Algumas pessoas fizeram perguntas ao final da apresentação, outras vieram conversar comigo diretamente no encerramento das talks e recebi alguns feedbacks após o evento. Esta interação é realmente muito gratificante, saber que podemos contribuir e aprender com os questionamentos do público, gerando novas conexões com diversos colegas de profissão.

Fica aqui o meu registro e agradecimento ao Pedro Belleza, ao IxDA, à Resultados Digitais e todas pessoas que organizaram e prestigiaram o evento.

Gostou do meu depoimento e quer fazer parte da equipe da Resultados Digitais?

Acesse: http://resultadosdigitais.com.br/trabalhe-conosco/