Kelburn Library

E se…reinventássemos as bibliotecas?

Design Thinking para Bibliotecas

Bibliotecas são instituições de cultura e conhecimento que acompanham o homem desde a antiguidade.

Com a invenção da imprensa e da democratização da informação na Idade Moderna as bibliotecas se multiplicaram e foram por muito tempo a principal ferramenta para as pessoas manterem-se informadas e realizarem pesquisas e estudos.

Com o desenvolvimento das tecnologias de informação as bibliotecas evoluíram na parte técnica — houveram novas formas de gerir base de dados, trocar informação com outras bibliotecas e instituições e deixar as informações encontráveis para os leitores.

No entanto, parte da imagem das bibliotecas esteve ligada à repositório de documentos, quando a internet cresceu e levou grande parte da informação para lá, o sentido das bibliotecas como repositórios foi se esvaziando.


Biblioteca de Praga — esteriótipo de biblioteca fantástica, deslumbrante..um pouco distante do dia a dia das pessoas


Não faz mais sentido ir para a biblioteca para ler um livro e fazer pesquisa, a não ser claro, em casos de obras raras e de difícil acesso.

É nesse sentido que as bibliotecas precisam se reinventar. Eu vejo as bibliotecas como instituições que possuem um propósito de salvaguarda da cultura e conhecimento humano produzidos — seja armazenando, seja estimulando esse desenvolvimento, seja criando uma atmosfera para que as pessoas se apropriem desse conhecimento e continuem produzindo mais, mantenham ele vivo!

É aí que entra o flerte da reinvenção das bibliotecas e do design thinking que queremos experimentar.

Design Thinking é um processo que trabalha com o modo de pensar e a forma de abordar problemas dos designers para encontrar soluções inovadoras e centradas nas pessoas.

A IDEO e o Instituto Melinda & Bill Gates criaram um toolkit de design thinking voltado para bibliotecas.




Baseado em trabalhos realizados com bibliotecas reais, eles trouxeram o processo de Entender, Idear e Prototipar para ser aplicados em bibliotecas.

Foi para entender esse toolkit e aprender fazendo, ou seja, aplicando em uma biblioteca real na cidade de São Paulo, que eu e meus amigos criamos um grupo de estudo sobre esse assunto.

Na nossa primeira reunião nos conhecemos um pouco mais, falamos sobre design thinking e inovação e nos dividimos em alguns papeis, como proposto pelo toolkit.

Exercício de Divisão de Papeis proposto pelo Tookit

Foi um exercício interessante! Trabalhando alguns anos com design thinking o que eu percebi era exatamente isso — todos nós temos habilidades e conhecimentos valiosos e que podem ser aprimorados, mas é exatamente juntando pessoas diferentes, com habilidades e interesses diferentes é que as ideias e soluções evoluem.

Foi um exercício de autoconhecimento ao mesmo tempo que foi tomando forma qual seria nosso papel no projeto — vamos depender da colaboração de cada um, de formas diferentes para que o projeto saia bem, especialmente por se tratar de um projeto social sem fins lucrativos.

Nosso grupo não é feito só por bibliotecários — tem gente de arquitetura, UX, administração, marketing, jornalismo, programação…O que nos une é o interesse pelo design thinking e pela biblioteca, nosso caráter multidisciplinar nos deixa bem mais fortes e completos ^^

Nosso próximo passo é escolher uma biblioteca e elaborar um plano de ação. Temos ainda um longo percurso pela frente!

Por este motivo, resolvemos compartilhar nossos aprendizados com a comunidade, pois afinal, quanto mais pessoas tomarem conhecimento desse material e arriscarem fazer diferente no dia a dia, mais bibliotecas terão a chance de serem reinventadas ☺

Nossa intenção é redescobrir papeis para a biblioteca por meio do estudo de um caso. Vamos, para isso, nos aproximar da biblioteca que for escolhida — conhecer de perto seu dia a dia, as necessidades e demandas dos profissionais, organização de seu espaço físico, e é claro, os usuários atuais e potenciais. Queremos entender como veem a biblioteca hoje, quais necessidades e demandas não são atendidas seja na biblioteca seja em outros locais de informação, aprendizado e cultura.

Quem quiser participar, nos avise pelo e-mail paulazevedomacedo@gmail.com, ou me procure no fb/designthinkingparabibliotecas. Nossas atividades nesse primeiro momento serão todas em São Paulo.

Estamos reunindo uma força tarefa para traduzir esse material e, se você tem interesse em aprender junto conosco mas está longe, entre em contato: vamos unir forças e empreender juntos!