Cardinal

Revista Desvario
Aug 17, 2020 · 2 min read

Poema de Dia Nobre

A Bárbara Matias

(colagem: Anne Nimrichter)

descendo a ladeira de costas

lá vem a mulher que sangra pelos olhos-boca-peitos-vagina

vagina vagina vagina

ela anda em compasso-amordaçada-algemada,

cambaleia, buscando no ventre, a força

a força a força a força

ela pensa

nas que vieram antes e nas que virão depois

depois depois depois

ela é fêmea-irmã-mãe-esposa-amante

e nas mãos segura o coração amolecido

como cacto afogado pela chuva

mas que ainda bate

bate bate bate

ela é mulher-raiz-cúrcuma-beterraba

tubérculo úmido que escurece na dor

carcaça de vaca encontrada no meio da caatinga mugindo

mugindo mugindo mugindo

ela é prosa, rima e poesia

pássaro-urutau-mãe-da-lua melancolia

melancolia melancolia melancolia

de noite, acocorada no terreiro

sonha com milhões de mulheres

e lambe suas pegadas,

chupa suas feridas

come a dor de seus corações

no dia seguinte acorda, apaga a luz do lampião

e olhando pro céu firme, resiste.

resiste, resiste. resiste.

Conheça o trabalho de Dia Nobre aqui

Conheça o trabalho de Anne aqui

revistadesvario

Publicação digital sem fins lucrativos voltada à difusão da literatura e da arte contemporânea criadas por mulheres

Revista Desvario

Written by

Perfil editorial da Revista Desvario

revistadesvario

Publicação digital sem fins lucrativos voltada à difusão da literatura e da arte contemporânea criadas por mulheres