Dia 15: Prisioneiros pelo evangelho.


“Por essa razão oro, eu, Paulo, prisioneiro de Cristo Jesus, em favor de vocês, gentios.” (Efésios 3:1)

Vivemos em um mundo em que ser cristão não apresenta grandes riscos a nossas vidas, no ocidente não existe nenhum tipo de perseguição aos seguidores de Cristo como ainda ocorre no Oriente Médio ou acontecia com os apóstolos e os cristãos depois deles no primeiro século.

Não são poucas as histórias de homens que foram brutalmente mortos por causa do evangelho, e mesmo com esse privilégio que temos de podermos professar nossa fé de maneira tranquila, negligenciamos nosso papel como evangelistas, pois é dever de todo cristão pregar o evangelho a toda criatura, não só de grandes pastores ou missionários.

O que me deixa mais intrigado nessa passagem da carta aos efésios é que Paulo não escreve pedindo orações em seu favor, muito pelo contrário, ele declara que está orando pelos irmãos, mesmo que preso. Sua maior preocupação são os crentes para os quais ele anunciou o evangelho.

Paulo entendia que sua missão nessa terra não era ser próspero e feliz, como muitas igrejas têm pregado hoje, sua missão era de anunciar o evangelho independente do preço que ele tivesse que pagar. As correntes que o prendiam não eram capazes de conter a mensagem da cruz que ele anunciava e isso já era suficiente para que ele não parasse por nem um momento.

Ser cristão é pregar o evangelho em qualquer momento, situação ou circunstância, a grande comissão foi feita a todos os cristãos, independente da idade, raça ou lugar onde mora.

As vezes me parece que a facilidade de anunciar o evangelho faz com que nos tornemos relaxados. Que Deus tenha misericórdia de nós e coloque em nossos corações o mesmo desejo de pregar sua palavra que havia nos cristãos perseguidos durante toda a história da igreja.


Esse texto faz parte de uma serie de textos, se você se interessou (?) pode achar outros como esse aqui “Devocionais de um Tolo”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.