Dia 23: Reflexos de Cristo.


“Quem me vê, vê aquele que me enviou.” (João 12:45)

É bem engraçado quando alguém diz: “nossa, como você faz isso parecido com seu amigo”, isso reflete como os nossos relacionamentos nos moldam e tendem a se refletir no nosso modo de agir. Ter uma relação intima com Deus deveria causar o mesmo efeito que todas as nossas relações comuns, afinal se afirmamos que somos cristãos estamos dizendo que passamos pela maior transformação de nossas vidas pelo poder de Deus, como isso não causaria grandes mudanças nas nossas vidas?

Quando Cristo diz que quem o vê, vê a Deus, ele está dizendo que as suas atitudes refletem perfeitamente a vontade de Deus. Tudo que Cristo fazia estava tão centrado na vontade do Pai, que ele refletia a perfeita imagem de Deus através de si.

Nós não precisamos declarar a todos os quatro cantos do mundo que somos cristãos se vivermos como Cristo. Ser compassivo, humilde, generoso, amoroso, gentil… são atitudes que são esperadas de alguém que diz ter sido transformado pelo poder de Deus, e se agimos dessa forma as pessoas tendem a ver algo diferente em nós e algumas chegam até a perguntar se somos cristãos. Acho que a maior alegria que podemos ter na vida é quando alguém nos pergunta se somos cristãos apenas pela forma como agimos.

Quando Paulo diz para o imitarmos assim como ele imita a Cristo, podemos tirar uma grande lição sobre como devemos nos portar como cristãos. Temos que ser fiéis imitadores de Cristo, assim como Paulo era, para que então possamos chamar tão grande responsabilidade de sermos modelos de cristãos para os outros.

Só conseguimos ser a imagem de Cristo se tivermos um relacionamento diário com Ele, pois do contrário não o conheceremos para que possamos imita-lo. A melhor forma de conhecermos a Deus é através de Bíblia e de uma vida de devoção e oração.

Busquemos então um relacionamento intimo com Deus para que possamos ser genuínos reflexos de sua graça para louvor de sua glória!


Esse texto faz parte de uma serie de textos, se você se interessou (?) pode achar outros como esse aqui “Devocionais de um Tolo”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.