Você conhece o Silicon Valley Brasileiro? Não? Então vem comigo.

Minha super experiência sobre o Hacktown 2018. O maior festival de inovação do Brasil!


Primeiramente imagino que você deve se perguntar, Silicon Valley brasileiro? Sim, a cidadezinha Santa Rita do Sapucaí é considerada um super polo tecnológico no Brasil. Além de sediar diversas empresas do ramo, ainda possui o Inatel, que é um dos maiores institutos voltados a tecnologia da América Latina!

E quem é esse tal de HackTown? Bem, o Hacktown (que é sediado na cidadezinha de Minas Gerais que citei aí em cima) é o maior festival de inovação do Brasil, já em sua terceira edição, ouvi dizer que o evento cresceu muito e só tem a melhorar a cada ano! Em 2018, aconteceu entre os dias 6,7,8 e 9 de setembro. Vou contar um pouco sobre minha experiência no evento…

Bom, eu adoro festivais como um todo e ainda sobre inovação e assuntos do futuro não poderia ser diferente. Cheguei lá na quinta-feira à noite e fui para o hostel (que apesar de novo é bem bacana e indico). Na sexta pela manhã, fiz o credenciamento no Inatel, peguei meu mapinha e cronograma e aí começou a jornada. Inspirado em eventos como o SXSW (que é um dos maiores do mundo), a proposta é você assistir palestras em vários lugares pela cidade com temas diferentes (tecnologia, música, arte, futurismo, design, A.I, crescimento pessoal e tantas outra coisas bacanas), você mesmo monta a sua grade de conteúdo e sai andando pela cidade a procura do local, que vai de salas de aulas, até cafés e restaurantes. O festival teve apoio master do NuBank e ainda tinha a casa Google (pela primeira vez fora doa EUA)


A minha experiência foi ótima! Consegui assistir 4 palestras por dia (UX, Produto Digital, Flow Hacker, Food Design, Mindfulness, novos modelos de negócios, economia circular, revolução 4.0, Forsight & Design, Smart Cities, enfim…), outro dia conto melhor sobre alguns temas que vi por lá. Alguns assuntos não foram tanta novidade, mas é legal ver como tudo está realmente alinhado, seguindo o curso e não é utopia gente, está acontecendo MESMO.

Pontos SUPER positivos do Festival

Além de poder transitar pela cidade a pé, o que é fantástico, você realmente observa a arquitetura, conhece a cultura local, as comidinhas deliciosas que nossa a terra mineira proporciona e ainda não fica com aquele tédio de passar o dia todo em uma única sala.

O festival deixa 30 minutos de intervalo entre uma palestra e outra, assim você tem tempo de se deslocar (que outros festivais como o Path perdem), comer algo, comprar uma àgua, etc.

O ingresso é relativamente barato para 4 dias de festival e leva na bagagem profissionais de auto nível nacional e internacional (fiquei MUITO feliz de ter encontrado 3 professores meus da Pós Graduação que admiro). Além disso, são mais de 300 palestras, workshops e sim, TEM SHOWS a noite para relaxar, conhecer bandas locais, tomar uma boa cerveja artesanal, tudo ao ar livre e espalhado pela cidade.

PONTO POSITIVO DA CIDADE: Santa Rita é uma cidade bem querida, acolhedora, com uma comida ótima e excelente custo benefício (cheguei a gastar apenas R$8 num café da manhã bem gostoso, com aquele toque caseiro sabe? :P)

Pontos a Melhorar

Na verdade, comparado a outros festivais que eu fui nesse formato, são poucas as melhorias.

O app para acessar os conteúdos estava ruim no começo e para IOS só foi liberado no dia do evento. Acho que o mapa com os locais e conteúdo poderia ter sido liberado antes, para todo mundo se programar.

PONTO A MELHORAR DA CIDADE: Acredito que ainda precisam melhorar as opções de comida. Muito fastfood e pouca comidinha de verdade. Alguns comércios fechados durante o evento, o que ao meu ver é ruim para uma cidade que só movimenta a economia mesmo, em picos como o Hacktown e Carnaval.

No mais é isso pessoinhas, vale MUITO a pena ir. Fiz amizades no hostel, muito conteúdo bacana, muita caminhada pela cidade e uns kilinhos a mais, porém um feriado longe de SP faz muito bem! E claro, a certeza que já quero ir em 2019!

Like what you read? Give Renatta Serra a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.