Fundamentos, metodologia e o básico do mestrado

Como começar a pesquisar?


As primeiras semanas de um curso de mestrado é facilmente comparável ao ato de aprender a andar. Você fica lá, uma semana sentado, apenas observando. Na segunda começa a se esforçar, tentar entender todo aquele mecanismo louco de como desafiar a gravidade com seus próprios membros. Depois chega a vontade de ir em frente. Cai, levanta, cai de novo. Levanta, anda um pouco. Alguém te carrega pro lugar onde você estava quando começou — teu orientador. Você se levanta de novo, e quando vê já está caminhando bamboleante por aí.

Por mais esdrúxula a comparação, basicamente é assim. É você que deve entender como se pesquisa e o que pesquisar. Esperar que o seu orientador diga o que você deve pesquisar pode minar todo o seu comportamento posterior de pesquisador. Ou seja, a curiosidade é sua, o mestrado é seu.

E para entender como se pesquisa e o que pesquisar, nada mais oportuno do que encontrar seus fundamentos. Ok, mas o que seria isso?

Dando um exemplo prático do meu tema. A premissa da minha pesquisa é encontrar práticas, métodos e estratégias consagradas em crowdsourcing no desenvolvimento de produtos em pequenas e médias empresas. Sendo assim, para entender melhor o meu objeto de estudo, estou pesquisando o universo do crowdsourcing, das pequenas e médias empresas, o desenvolvimento de produtos nestas empresas, além de outros conceitos que foram descobertos no decorrer desta mesma pesquisa. E por isso a pesquisa de fundamentos é importante assim. É a base para que você, desde um plano geral, vá entendendo o contexto do seu objeto específico de estudo.

Alguns conceitos, como eu disse, foram descobertos no decorrer da pesquisa de fundamentos. Isto porque enquanto você pesquisa o contexto geral, sempre deve estar atento ao que você quer. Quando expliquei neste texto que é importante ter pelo menos um pré-projeto consistente, é para saber quais fundamentos serão suficientes para embasar o que você pretende estudar. A busca fica mais clara.

Os fundamentos da minha pesquisa (por enquanto).

A imagem aqui do lado é para ilustrar estes tais fundamentos. É o que eu vou buscar nestas áreas e que será pertinente para embasar o meu estudo — por enquanto. E de todas estas áreas eu vou buscar o que é intersectante (aquela hachura ali no meio). Admito, não é nada fácil, mesmo eu explicando assim de uma maneira bem prática e rápida. A cada dia de pesquisa existem diversas tomadas de decisões quanto ao rumo da mesma, mas nada que não possa voltar atrás e revisar o que foi obtido. E o que mais me encanta na pesquisa é isso. É essa movimentação orgânica de como se obter o conhecimento e buscar a utilidade neste amontoado de conhecimento para o que você está pretendendo. E eu acho que isso acontece em todas as áreas, por mais consolidada que seja.

A introdução da metodologia é para que eu não me perca nesta imensidão de conhecimento. É muito fácil eu entrar em uma base de dados como a Science Direct, digitar "crowdsourcing" e sair lendo todos os artigos que foram publicados sobre o tema. Provavelmente eu terminaria minha pesquisa em 2025 com um resultado que talvez não fosse o mais satisfatório. Por isso, é importante se ter uma metodologia de pesquisa. Metodologia nada mais é do que o "como" se pesquisar algo. E é recomendável que você tenha este cacoete depois de um tempo: saber de que maneira pesquisar. Isto fará você economizar muito tempo quando estiver dentro de um projeto. A metodologia cria limites e parâmetros (ou melhor, um universo) na sua pesquisa. E você pode sem medo, dentro deste universo, vasculhar o que for mais importante.

Por exemplo: na minha pesquisa, como estudo inicial, resolvi buscar sobre os temas que explicitei ali na figura em uma base de dados somente. A cada busca, é bom que se anote o resultado e o que foi obtido de informação para não haver retrabalho. Um ótimo artigo sobre um método de pesquisa para referências é este aqui sobre Revisão Bibliográfica Sistemática. Claro, isto para a minha área, e acredito que para cada área de pesquisa existem métodos mais eficientes. Usando a RBS — outra coisa, existem diversos métodos para uma revisão bibliográfica, isto é questão de escolha do pesquisador — , procurei pelos temas da minha pesquisa mas de maneira cruzada. Cruzada porque imagine quantos resultados eu obteria com a palavra "sustentabilidade", logo, cruzando com os outros fundamentos fui traçando um caminho que acredito estar rendendo bons frutos no meu projeto.

Ou não. Veremos. Amanhã tenho reunião com meu orientador.

Bom, a partir daqui, por mais específico que o meu tema seja, tentarei sempre elucidar de uma forma geral para que seja acessível. Porém, tenho de lembrar que isto é um diário de bordo. Ele é tão — ou mais — importante para mim quanto para vocês que estão lendo, sendo assim, quando aparecer algo um pouquinho específico demais, relevem. ☺