Caixinhas do Clube do Chá por Andrea Leigue

Descubra como foi desenvolvida a embalagem que envolve os chás do Clube

Nós do Diário do Chá (Clube e Blog) somos apaixonados pelo que fazemos e estamos sempre atentos aos detalhes. Gostamos de pensar em tudo com muito cuidado e atenção. E um detalhe que adoramos é a caixinha que embala os chás do mês do Clube do Chá, principalmente porque ele é um mimo que enviamos pra vocês com muito amor, todo mês.

Pra enviar os chás selecionados todos os meses, desenvolvemos uma caixinha exclusiva e com muito carinho e pra isso contamos com a ajuda especial da Andrea Leigue (@dodileigue no instagram), que em seu ateliê criativo elaborou um processo minucioso e criativo para contribuir com o visual da embalagem.

O Diário do Chá é um registro dos momentos que levam as pessoas a viajarem no que o chá pode proporcionar a elas buscando incentivá-las a descobrir e vivenciar momentos agradáveis através da bebida, tirar um tempo para si, compartilhar um momento em família, com os amigos.

Fotos que a Andrea tirou durante o processo :)

Trazer ao nosso cotidiano mais aromas e sabores incríveis, culturas e cerimônias de antepassados, aconchego do lar e cuidados de quem ama a gente. E é nesse universo que a Andrea se inspirou pra tornar a experiência de receber os chás em casa em um momento agradável e especial, procurando trazer essas sensações através do olhar.

Pra dar vida a caixinha e deixá-la com a nossa cara, ela criou desenhos e estampas utilizando uma tinta natural feita a partir das folhas e do chá Oolong sobre papel. Através dessa mistura e desse processo artesanal, surgiram desenhos delicados e naturais que expressam a essência do Diário do Chá e que foram aplicados na nossa caixinha. Veja abaixo algumas fotos:

O que achou? Você já sabia que sua caixinha do Clube foi feita assim? Feito com ❤ especialmente pra você. Assine nosso Clube de Assinaturas e receba todo mês em sua casa as caixinhas com os melhores chás, selecionados por nossos tea hunters.

Clique aqui e Experimente.


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.