Borussia Dortmund fica em situação complicada na Liga dos Campeões

O Borussia Dortmund foi derrotado nas duas partidas em que disputou na Liga dos Campeões. Mais uma vez o time de Dortmund foi derrotado por 3–1, mas desta vez foi em casa e contra o atual campeão, Real Madrid.

Os 65,848 torcedores que compareceram no Signal Iduna Park viram um jogo de muita qualidade em que o Real Madrid saiu na frente do placar por 2–0 em belo chute de Bale aos 18 minutos do jogo e com Cristiano Ronaldo aos 4 minutos do segundo tempo. Os aurinegros não estavam entregues e deram um motivo a mais pros torcedores acreditarem, quando Aubameyang diminuiu aos 9 minutos da segunda etapa, mas Cristiano Ronaldo não deixou, pois faltando 11 minutos para o fim do jogo, recebeu ótimo lançamento e matou o jogo.

Táticas:
A pergunta que estava no ar antes da partida era: Será que a pressão ofensiva da equipe do Borussia na metade do campo do adversário funcionaria contra uma equipe muito experiente e repleta de talentos individuais? Sahin não jogou com tanta liberdade para atacar, como vem mostrando na Bundesliga, mas ficou mais próximo da área protegendo a linha de quatro defensores. Quando defendendo, os aurinegros adotaram o 4–1–4–1 com Aubameyang isolado na frente, porém mudavam para o 4–3–3 quando tinham o domínio da bola. O Real defendia no 4–3–3. Os dois times tentaram jogar com os laterais atacando bastante quando tinham a posse da bola.

A partida e análises:
O Real Madrid foi uma ameaça à lateral-esquerda do Borussia duas vezes nos minutos iniciais da partida: Carvajal ficou livre após lançamento e ainda cortou Toprak, mas não aproveitou a chance clara de gol e Bürki conseguiu fazer boa defesa, 60 segundos depois, Piszczek salvou o Borussia ao chegar antes que Bale que entraria livre para marcar com o gol aberto, após passe de Cristiano Ronaldo.

Apesar das boas chances que o Real Madrid teve, era o Borussia Dortmund que estava crescendo na partida e dominava a posse de bola, mas o lance capital da partida foi o árbitro não ter marcado um pênalti claro a favor dos aurinegros.

Após um cruzamento, Phillip finalizou e Sérgio Ramos fez uma defesa no que poderia ser um gol para o time de Dortmund aos 14 minutos de partida. Nem o árbitro que fica ao lado do gol, nem o bandeirinha viram a irregularidade. O árbitro principal da partida, Kuipers, teve de consultar seu assistente, mas deu apenas escanteio. Não foi a intenção de Ramos colocar a mão na bola, foi mais um ato de reflexo, mas seus braços estavam em uma posição alta, não muito natural e mudou drasticamente a trajetória da bola que poderia ter acabado dentro do gol.

Lembrando que na primeira rodada contra o Tottenham, o Borussia Dortmund também foi prejudicado pela arbitragem, quando Aubameyang empataria a partida em 2–2, mas o bandeirinha achou ter visto o gabonês em posição irregular, quando não estava.

Gol do Real Madrid ao invés de um pênalti para o Borussia Dortmund

Sem o pênalti e a possível chance de abrir o placar, foram os merengues que tiraram o zero do placar, apenas quatro minutos depois com um belo passe de Carvajal para Bale que de voleio colocou a bola no ângulo.

O Borussia Dortmund até teve uma boa chance de empatar a partida aos 38 minutos ainda da primeira etapa, quando Piszczek achou Aubameyang dentro da área livre, mas o atacante gabonês chutou na trave, mas não valeria pois foi marcado o impedimento.

A segunda etapa da partida começou com uma excelente oportunidade para a equipe da casa. Götze lançou a bola para Yarmolenko na direita da área, mas o ucraniano preferiu tentar dar um passe de cabeça para o Auba que entrava marcado por Varane ao seu lado, ao invés de tentar a finalização que poderia ter mais sucesso, pois o defensor do Real Madrid chegou antes do artilheiro de Gabão e colocou a bola para fora. Mas em rápido contra ataque, Bale saiu livre pela esquerda e cruzou na medida para Cristiano Ronaldo fazer o gol que deixaria a partida nas mão do Real Madrid.

Pouco tempo depois, os aurinegros não deixaram os merengues abrirem vantagem no placar e já diminuíram quando Aubameyang se antecipou ao Sérgio Ramos e mandou a bola para o fundo das redes. O Borussia teve outras oportunidades para empatar, mas por incompetência não conseguiu o tento que explodiria de felicidade os torcedores no Signal Iduna Park.

Peter Bosz mudou o esquema tático da equipe quando Weigl and Dahoud entraram no lugar de Sahin and Toljan. Com essa mudança Piszczek se transformou em zagueiro. As chances foram chegando e se criou uma pressão absurda da equipe de Dortmund em cima dos merengues. Faltando 15 minutos, Bosz precisou botar a equipe mais ofensiva, pois não parecia dar resultado e com isso mudou o esquema tático de novo para um 3–3–4 com Pulisic entrando no lugar de Götze.

Ficou claro que era o “tudo ou nada”, faltando 10 minutos para acabar a partida, Cristiano Ronaldo recebeu lançamento em posição questionável e finalizou na primeira trave — gol que lembrou os dois primeiros gols sofrido contra o Tottenham na primeira rodada— A dúvida da posição só existe, porque Toprak por algum motivo achou que conseguiria acompanhar o velocista português, caso tivesse ficado parado ou feito uma linha de impedimento, o bandeirinha provavelmente ficaria mais convicto da posição irregular do astro merengue.

E agora?
O Borussia já tem que pensar no sábado, quando vai enfrentar o Augsburg e possivelmente continuar o brilhante começo na Bundesliga. Enquanto que pela Liga dos Campeões vai ter de ganhar os próximos dois jogos contra o Apoel, de preferência com um bom saldo de gols e esperar pra ver o que acontecerá nas partidas entre Real Madrid x Tottenham, para saber suas chances de continuar na Liga dos Campeões ou disputar a Liga Europa.