Lucas Maia

May 19, 2021

10 min read

Como coletar e analisar dados qualitativos a partir de vídeos

Ajuda e dicas para pesquisa, teste de usabilidade ou entrevista com o usuário

Para começar, o que são dados qualitativos?

Muitas vezes acabamos confundindo dados qualitativos e quantitativos, mas a diferença é muito simples.

Exemplo quantitativo e qualitativo

As vantagens de utilizar vídeos nos processos qualitativos

  1. Nossa atenção é limitada e nossa memória é falha. Isso faz parte de nós como seres humanos. E não estamos livres disso quando coletamos este tipo de dado.
  2. Grave uma vez, analise o quanto for necessário. Vídeos são como o DeLorean, um artefato que serve como máquina do tempo. Ele nos dá a oportunidade de se transportar inúmeras vezes para o início e analisar detalhadamente o que você está estudando.
  3. Vídeos são aplicáveis a vários métodos diferentes de pesquisa. Entrevistas com usuário, testes de usabilidade, pesquisa de campo, card sorting, e muitos outros. A realidade é que, qualquer processo ou dinâmica em que você consiga absorver interações de um indivíduo ou grupo, é um método com potencial para aplicar o uso de vídeos.
  4. Análises e relatórios mais efetivos. Podendo analisar continuamente o mesmo material, a probabilidade de acabar esquecendo de alguma informação é quase nula. Com isso, geramos análises muito mais completas e eficientes.
  5. Visibilidade dos processos para o time. O que no modo convencional seria impossível, com os vídeos abrimos janelas para que todo o time acompanhe as descobertas destes processos em que normalmente não estariam inseridos.
  6. Adaptativo e de baixo custo. A aplicação de vídeos funciona em muitos cenários de trabalho diferentes. Esteja você em um freelance, startup ou multinacional, você não precisa de nada além de um computador, uma câmera ou um software de captura de imagem.
  7. Funciona em qualquer tipo de dispositivo. No geral, acabamos tendo mais contato com os aparelhos mais populares, tais como o celular, tablet e o computador. Mas a aplicação de vídeo encaixa muito bem em aparelhos que não são tão tradicionais assim, como um caixa eletrônico ou uma calculadora gráfica.
  8. Estudo de interações 2D e 3D. Como UX/UI Designer, meu trabalho está muito ligado a interface (2D), mas o 3D também pode servir de objeto de estudo. Um software para quartos de hospital ou uma lousa digital, por exemplo, que já é até uma realidade em algumas escolas no Brasil.
  9. Ninguém precisa sair de casa. O momento de pandemia que vivemos desde 2020 nos trouxe a oportunidade de reinventar muitos processos que costumavam ser em espaços físicos. Testes de usabilidade pelo Google Meet, entrevistas pelo Whatsapp e pesquisas pelo Google Forms: uma infinidade de ferramentas e possibilidades que estão em nosso cotidiano e auxiliam nosso dia a dia.

Coleta

A primeira etapa é, com toda a certeza, a parte mais desafiadora do processo. Precisamos ter muito cuidado para coletar esses dados de uma forma não invasiva, uma vez que isso pode afetar a performance do usuário e, consequentemente, os nossos resultados.

Individual
Bring your own device
Colaborativo
Equipe
Mobius Action Camera
Tripé
Grid

Análise

Esse é o momento que identificamos os caminhos e as decisões do usuário para completar cada tarefa em um teste de usabilidade, entrevista com usuário ou em um trabalho de observação.

Template #1: Teste de usabilidade

Na primeira sessão, temos uma área para numerar os participantes da pesquisa (1) e uma área para as tarefas do seu roteiro (2), na qual faremos as marcações de sucesso e falha de cada usuário por meio de cores (verde e vermelho, por exemplo).

Template #1: Teste de usabilidade — FOTO 1
Template #1: Teste de usabilidade — FOTO 2

Template #2: Entrevista com usuário

Para uma entrevista com o usuário, a primeira sessão do nosso template conta com uma área para enumerar os participantes (1) e outra para as respostas das perguntas que fizemos para eles (2), separadas por coluna. Lembra da dica de transcrever seus vídeos? Esse momento é seu! Só copiar e colar no template, sem muito trabalho.

Template #2: Entrevista com usuário — FOTO 1
Template #2: Entrevista com usuário — FOTO 2

Template #3: Observação

Nosso terceiro template é para um trabalho de observação, e além das colunas que já estamos acostumados a partir dos exemplos anteriores, desta vez contamos com uma coluna de contexto (1). Como o próprio nome já diz, seu intuito é contextualizar uma nota a um elemento da nossa interface, que pode ser uma caixa de texto, um botão, filtro, etc.

Template #3 Observação — FOTO 1
  1. Caso precise exemplificar algum comportamento com imagens, você também pode adicionar uma marcação de tempo ao lado da sua nota.
  2. A coluna de frequência pode nos ajudar, inclusive, na priorização das melhorias que são levantadas na pesquisa, uma vez que conseguimos identificar com mais facilidade onde estão os maiores gargalos.
Template #3 Observação — FOTO 2
Template #3 Observação — FOTO 3

Template #4: Observação em grupo (ambiente colaborativo)

Por fim, vamos falar de outra nuância de um processo de observação: uma dinâmica colaborativa, na qual cada usuário é responsável por uma parte/etapa de um artefato que está sendo feito em conjunto.

Template #4: Observação em grupo (ambiente colaborativo) — FOTO 1
Template #4: Observação em grupo (ambiente colaborativo) — FOTO 2
Template #4: Observação em grupo (ambiente colaborativo) — FOTO 3

Notas finais

Independente do método de pesquisa ou do contexto do seu projeto, qualquer processo qualitativo se encaixa muito bem com o uso de vídeos. Em todos os casos, você garante uma análise mais assertiva e completa do comportamento do usuário, podendo “voltar no tempo” quantas vezes forem necessárias para garantir a fidelidade da sua análise.

Nós desenvolvemos produtos digitais com inovação, agilidade e excelentes práticas, para que o mercado brasileiro e latino-americano acompanhe a velocidade do mercado digital mundial.