Estamos em crise, e agora?!

Nacionalmente falando, estamos em uma crise econômica, mas individualmente falando, estamos em uma crise existencial.

Sim sim, o Brasil está em crise, isso não é novidade para ninguém. E, segundo opiniões diversas, estará em crise por pelo menos mais 6 meses — so sad.. — mas, como consequência, muitos brasileiros entraram em crise existencial, pessoal e estão perdidos no meio de tanta coisa.

Não falo só por mim — que estou fazendo freela e arranjando maneiras de não enlouquecer — mas também por aqueles tantos que estão infelizes em seus trabalhos, mas petrificados de medo de sair e não terem outra renda fixa durante um tempo; ou aqueles que estão saindo da faculdade e não conseguem enxergar uma carreira num futuro próximo; ou até aqueles mais vividos que estão prestes a se aposentar e então BOOM, a empresa os mandam embora e eles já não sabem mais o que fazer.

Sim, os brasileiros, aquele povo feliz e festivo, estão em crise. E o pior, os jovens estão sem poder se jogar em seus sonhos, porque muito deles precisam de dinheiro para pagar faculdade, contas ou ajudar na casa. O mercado não está favorável para os jovens, pois as empresas querem pessoas experientes, mas também não está do lado dos mais velhos pois não podem pagar grandes salários — que é a consequência de muitos anos de experiência.

E ai, você vai para o mercado, manda currículos, dá a cara a tapa e descobre que as empresas não estão valorizando a mão-de-obra que têm a disposição, pois elas também estão em crise. Elas estão cortando todos os gastos possíveis — até os que são imprescindíveis — pois elas precisam se manter de pé e passar por esse tsunami econômico que o Brasil está vivendo.

Ou seja, como diria o Ney Matogrosso: “ Se correr o bicho pega, Se ficar o bicho come”

Não dá para dizer que essa crise não afeta o povo, que é só uma questão econômica/política e que irá passar. Nunca antes em meus 27 anos eu vi tantos amigos e familiares estressados, preocupados e infelizes com suas carreiras e vidas financeiras. O estresse cresceu numa porcentagem tão grande, que fica difícil ver alguém que está relaxado e não está pensando ‘como irei pagar a conta do mês que vem’ ou ‘devo começar a mandar currículo?’ ou ‘o que farei se a empresa que estou fechar?’ ou tantos outros pensamentos que fica difícil de citar. As pessoas não estão mais planejando o futuro, pois ninguém está certo do que vai acontecer amanhã!

Sabe, aquela certeza que antigamente nossos pais e avós tinham com relação aos trabalhos? Que se eles fizessem tudo certo, estudassem e dessem seu melhor eles ficariam naquela empresa até se aposentar? Pois bem, essa certeza não existe mais.

O que nos resta já que não adianta arrancar os cabelos? Temos que esperar a poeira baixar, dar tempo ao tempo. Não podemos perder nossa energia, pois ela será essencial para reconstruir nossas vidas depois que o tsunami passar e a maré baixar. Somos jovens e, felizmente, temos esse tempo.

A minha dica? Estude! Use esse tempo para curtir você mesmo e saber mais sobre o que você quer! Não tenha medo! Tudo vai entrar nos eixos e logo sua carreira vai deslanchar.

O dia está lindo lá fora, aproveite!