Desportiva joga mal e vê Operário abrir boa vantagem

Foto: Marcos Barcelos/Do Um Ao Onze

Estádio Engenheiro Araripe em clima de mata-mata. Mais de 2700 pessoas foram para Jardim América abraçar a Desportiva Ferroviária, que voltou ao Brasileirão Série D 2017, por conta do julgamento e punição do São Raimundo-PA. O adversário, Operário-PR, vinha de eliminação na segunda divisão paranaense, mas na quarta divisão está fazendo boa campanha.

O time capixaba mostrou logo no início do jogo que sentiu o peso da decisão, principalmente seu setor defensivo. Com um minuto, Felipe foi obrigado a fazer grande defesa no chute de Athos. A Desportiva tentou equilibrar o jogo, mas pecava na criação, fazendo pouquíssimos lances verticais. Quando fez, surgiu a primeira grande chance grená. Em cobrança de falta de Edinho, o goleiro Simão fez uma grande defesa.

Os paranaenses não se intimidaram com o perigo e se aproveitaram do nervosismo da defesa grená. Em lance rápido, Quirino mandou a bomba na área para Felipe espalmar para frente. No rebote, Lucas Batatinha acerta o travessão, silenciando o Araripe.

Se a defesa andava nervosa, o time começou a ter mais posse de bola no campo de ataque. Aos 22, Erick Daltro cruzou na área e Weldon quase marcou de calcanhar. No entanto, a Tiva ainda precisava trocar muitos passes para gerar uma chance clara de gol, que só veio aos 37, em nova cobrança de falta. Sorriso bateu no canto esquerdo, mas o goleiro Simão foi buscar e pôs para escanteio.

Na volta do intervalo, “repeteco” da primeira etapa. Com um minuto, Quirino arriscou de fora da área e acertou o pé da trave de Felipe. Só que aos sete, não teve jeito. Athos cobrou escanteio, a bola foi desviada no primeiro pau e Quirino, livre de marcação, se atira na bola de cabeça: 1 a 0 e silêncio no Araripe.

O técnico Rafael Soriano tentou lançar a Desportiva para o ataque colocando Marco Morgon no lugar de Thiago. No entanto, os grenás estavam irreconhecíveis em campo. Aos 16, Quirino levou perigo novamente em um chute de fora da área. Somente aos 18, a Tiva chegou bem ao ataque. Zizu fez bela jogada na esquerda e cruzou. Edinho bateu de primeira, mas Simão, bem posicionado, fez a defesa.

O lance aos 18 levantou a torcida, que não sabia que ficaria calada dois minutos depois. Quirino recebeu lançamento e, livre de marcação, escolheu o canto e balançou as redes de Felipe, que foi vaiado até o fim do jogo: 2 a 0.

A torcida começou a deixar o estádio. O Operário fez um carnaval em campo. A Desportiva, desesperada não tinha mais cabeça para criar chances claras. Já os paranaenses quase transformaram a vitória em goleada, aos 26. Lucas Batatinha fez o que quis com a defesa grená, invadiu a área e chutou forte. Felipe espalmou, a bola subiu e tocou no travessão.

Fim de papo. Vaias e indignação da torcida. Agora, apenas um milagre no próximo domingo, 16, em Ponta Grossa, pode manter o sonho grená vivo. A Desportiva Ferroviária precisa vencer por três gols de diferença para avançar. Uma vitória por 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

Desportiva Ferroviária 0x2 Operário-PR — 2ª Fase Brasileirão Série D 2017, Jogo de Ida

Estádio: Engenheiro Araripe, Cariacica-ES

Público: 2740 pagantes

Renda: R$ 43.590,00

Árbitro: João Ennio Sobral, CBF-RJ

Desportiva Ferroviária: Felipe, Sorriso, David, Diogo e Erick Daltro; Caetano, Thiago (Marco Morgon), Zizu e Edinho; Teco (Madison) e Weldon (João Vitor). Técnico: Rafael Soriano.

Operário-PR: Simão, Danilo Báia, Alisson, Sosa e Peixoto; Chicão, Índio (Serginho Paulista), Quirino e Washington (Jean Carlo); Athos e Lucas Batatinha (Daisson). Técnico: Gerson Gusmão.

Gols:

Segundo Tempo: Quirino, aos 7 e aos 20.