De edifício bancário à centro cultural: uma das relíquias do Centro Histórico

O prédio fica na Praça da Alfândega, no Centro de Porto Alegre (Foto: Kassandra Pooch)

Construído originalmente entre os anos de 1927 e 1932, o Santander Cultural tem 5.600m² e tornou-se um exemplo de arquitetura bancária do século XX reunindo os estilos neoclássico, art nouveau e barroco-rococó em seus cantos arredondados e com uma grande caixa forte. A estrutura foi projetada pelo engenheiro civil Hipólito Fabre, o escultor espanhol Fernando Corona, o arquiteto polonês Stephan Sobczack e o alemão Theo Wiedderspahn.

No início dos anos 30 a estrutura serviu como sede para bancos como O Província, Nacional do Comércio, Sul Brasileiro, Meridional e atualmente tem sua administração feita pelo Santander. Em 1987 o prédio foi tombado como patrimônio histórico e artístico do Rio Grande do Sul e se tornou um dos principais pontos turísticos da capital gaúcha. A partir dos anos 2000 o monumento foi inteiramente restaurado e recebeu o espaço de arte, Santander Cultural, projetado pelo arquiteto Roberto Loeb em parceria com a Solé & Associados. A ideia era manter os espaços originais do banco adaptando o local para receber um centro cultural.

Like what you read? Give Gabriela Araujo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.