Como são feitas as imagens aéreas da copa

Entenda porque a FIFA não utiliza drones comuns para fazer a cobertura do evento mais esperado do ano e conheça de perto o SkyCam, o equipamento escolhido para fazer esse trabalho.

Você tava achando que era um drone de hélice rotativa? Achou errado!

Se você já sentou pra assistir um jogo da copa, já deve ter visto imagens aéreas de algum lance emocionante. O que alguns ainda não sabem, é que o equipamento que é usado pra captar as imagens aéreas dos jogos não tem nada a ver com os drones que nós temos e amamos.

As limitações em usar um drone tradicional na captação das imagens são várias:

Risco de acidentes

Os drones, mesmo os de maior porte, são extremamente vulneráveis a objetos que interceptem o movimento de suas hélices. O uso de protetores de hélices pode amenizar essa falha mas não corrigir completamente. Qualquer projétil que atinja a aeronave pode levá-la a queda. O primeiro problema que vem à mente seria a própria bola de futebol mas objetos arremessados pela torcida também são potenciais causadores de problemas como é o caso desse falecido drone aqui do vídeo.

Sim, um papel higiênico é uma arma poderosa contra o seu drone.

Autonomia de vôo

Uma das grandes dificuldades que a tecnologia como um todo enfrenta há muito tempo é a capacidade de armazenamento de energia. Mesmo com o aprimoramento constante das baterias Lithium, que são as mais populares entre os drones por ser eficientemente recarregáveis e limites de descarga flexíveis, as aeronaves mais modernas ainda têm o tempo de vôo muito limitado.

Se a bateria dura menos do que o jogo, é necessário fazer um pouso pra trocar a bateria ou quem sabe fazer um rodízio de drones. Essas duas soluções ainda não garantem que não vamos perder um lance importante durante uma dessas trocas.

Pegar o momento certo

O futebol é um evento imprevisível. O gol mais rápido do campeonato brasileiro aconteceu em 8 segundos. Quem iria imaginar que, pra pegar esse gol, você já teria que ter decolado antes da partida começar.

Tecnologia de transmissão

Mesmo com as grandes evoluções que os drones modernos passaram no sistema de transmissão de imagem, os delays de sinal em tecnologias sem fio ainda são muito maiores em relação à transmissão com fio. Esse delay pode afetar a sincronia das imagens do drone com as das câmeras terrestres.

Poluição sonora

Nós sabemos que os drones não são os veículos mais silenciosos, a poluição sonora pode ser um impeditivo principalmente quando os ruídos podem distrair os jogadores.

Conheça a SkyCam

Todas essas dificuldades tornam a transmissão de imagens do drone tradicional muito trabalhosa, arriscada e pouco eficiente. E é nesse momento que soluções como a SkyCam (também chamada de CableCam ou SpiderCam) se mostram extremamente eficientes.

A SkyCam mudou a forma com que os americanos passaram a ver futebol por lá.

O Mecanismo

A SkyCam fica ancorada em quatro cabos que são fixados a polias de capacidade kilométrica. Os operadores definem quais os limites seguros de alcançe do equipamento, evitando obstáculos e sobrevoar áreas com alta densidade de pessoas.

O posicionamento do corpo da SkyCam funciona com base em um sistema de coordenadas muito parecido com o de uma impressora 3d. Enquanto um dos operadores se dedica a colocar a câmera no lugar certo (eixo x, y e z) o outro cuida da inclinação, rotação e zoom da câmera.

A combinação orquestrada desses movimentos produz resultados incríveis sem os problemas de usar os drones tradicionais que conhecemos. O vídeo abaixo mostra as imagens captadas por uma SkyCam em um jogo de futebol americano.

Ficou curioso? Esse vídeo conta a história da criação da SkyCam, como ela é instalada e detalhes da sua operação.


Quer aprender mais sobre drones? Estão abertas as inscrições para o nosso Curso de Pilotagem de Drones mega completo e 100% online. Para saber mais, é só clicar aqui!
Aproveite enquanto ainda temos vagas!