A arte do toque

Preventivo, terapêutico e curativo

Tocar é algo inerente ao ser humano. Compreende um dos nossos sentidos, o tato. A porta de entrada é o maior órgão do corpo: a pele.

O tato é o primeiro sentido desenvolvido na fase embrionária e desde já torna-se funcional. Portanto, podemos considerar como a primeira forma de comunicação consigo e com os outros. Muitas vezes não temos consciência de quão importante é nossa pele, pois ela reveste e protege os demais órgãos, comunica-nos as sensações internas e externas, regula nossa temperatura e se renova, garantindo a funcionalidade do corpo.

O toque torna-se meio de comunicação, porque há na pele milhares de terminações nervosas (terminações nervosas livres, discos de Merkel, corpúsculos de Vater-Pacini, corpúsculos de Meissner, corpúsculos de Ruffini) que “avisam” ao Sistema Nervoso quando está quente ou frio; sensações dolorosas, de prazer, de textura e forma; refletem os sentimentos (medo, raiva, euforia etc.).

Tocar é a via utilizada na massagem, para que o corpo massageado retorne ao seu equilíbrio. O toque da massagem avisa ao corpo, que mudanças ocorrerão, que a dor latente está indo embora, que as inquietações desapareceram e que, enfim, ele pode relaxar!

Permita-se ser tocado! O toque da massagem previne a desarmonia, harmoniza o que está “fora do lugar”, portanto, cura.

Like what you read? Give Ederson Gílio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.