Fundos de pensão garantem qualidade de vida e impulsionam a economia

Segmento atende 7,2 milhões de participantes e administra mais de R$ 833 bilhões em ativos no país, o que equivale a 12% do PIB

FUNCEF
FUNCEF
Jan 11, 2018 · 4 min read

Foi-se o tempo em que planejar a terceira idade era garantir o suficiente para tratamentos médicos e despesas do dia a dia, por meio da previdência pública. Assim como evoluiu o conceito de longevidade, acentuando-se a noção de qualidade de vida, lazer e prazer na etapa pós-sexagenária, evoluiu também o conceito da previdência, numa perspectiva em que a aposentadoria significa mais renda para aproveitar o lado bom da vida.

“Estamos saindo de uma cultura em que se vê a previdência pelo lado social, relacionada à perda da capacidade laboral e a consequente necessidade de se aposentar”, diz José Roberto Ferreira, sócio-diretor da Rodarte Nogueira & Ferreira Associados e ex-superintendente da Previc. “No mundo, e no Brasil, estamos evoluindo para os conceitos relacionados à previdência voltada ao apelo de planejamento financeiro. O que antes era a aposentadoria complementar virou um plano de renda e, sendo assim compreendido, propicia uma série de vantagens ao participante”, observa.

José Roberto Ferreira, especialista em Previdência Complementar

Seguro de renda

Com a tranquilidade da renda complementar, os benefícios advindos da previdência social servirão só para as despesas básicas. A renda extra dá a oportunidade para, ainda com vigor, fazer o que não foi possível fazer durante o período de trabalho. “A pessoa pode, por exemplo, concluir mais cedo o tempo de serviço e viver diferente do que viveu até então. Outra opção é viver um ritmo diferente, mas ainda trabalhando.”

Foi com essa perspectiva que, no mundo inteiro, cresceu a previdência complementar. E a poupança resultante fez dos fundos de pensão uma das maiores alavancas do desenvolvimento econômico global.

“No início o modelo pretendia prover a renda do trabalhador no período pós-laboral. Agora, passou a ter um outro tipo de utilidade para a sociedade. No mundo todo a grande alavanca de desenvolvimento é a poupança privada interna de longo prazo advinda da previdência complementar”.

A prova disso, diz o especialista, é que nos países desenvolvidos, a proporção do total de ativos da indústria dos fundos de pensão em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) é bastante elevada. Na Dinamarca, por exemplo, é de 112%. Segundo a Organização Mundial para o Desenvolvimento Econômico (OCDE), nos países desenvolvidos, onde os fundos de pensão tem sido uma mola propulsora do desenvolvimento, essa relação é de 70% na média. Na Holanda, chega a 112%, e nos EUA, a 80%.

Espaço para crescer no Brasil

Segundo os dados da Abrapp, no Brasil, a indústria dos fundos de pensão é composta por 307 entidades, que administram 1.137 planos de benefícios com 7,2 milhões de participantes. Juntas, elas respondem por R$ 833 bilhões em investimentos, que representam apenas 12,6% do PIB nacional.

Na visão de Ferreira, isso significa que há bastante potencial de crescimento para o segmento, que trará consigo efeitos positivos para a economia como um todo. “Existe uma margem muito grande de acumulação que representa a ampliação da cobertura previdenciária e que o Brasil precisa experimentar. Sem esses recursos, a retomada do desenvolvimento econômica estará muito comprometida”, comenta.

Impacto econômico

Diego Barbosa, vice-presidente da Associação Brasileira de Educação Financeira (Abref), ressalta a importância dos fundos de pensão para a economia brasileira, que vai muito além da aposentadoria tranquila para os seus participantes. “Os fundos de pensão são importantes para todos os players do mercado — clientes, fundos de investimento, mercados e Tesouro Nacional, onde os fundos deixam entre 70% e 80% dos seus recursos (com a aplicação em títulos públicos)”.

Ferreira, ex-superintendente da Previc, lembra que, quando o governo traz incentivos para a indústria dos fundos de pensão e os fundos investem na economia, o participante acaba por se beneficiar duas vezes.

“Se o fundo tiver capacidade de auxiliar no desenvolvimento do país, quer dizer que este fundo está fazendo bons investimentos, cujos rendimentos são adequados para garantir a renda dessa pessoa”, diz. Ou seja, como participante ela se beneficia pela garantia de que a renda por ele aplicada trará retorno para formar sua renda futura. E como cidadã, ela se beneficia do desenvolvimento do país.

“Além da dignidade e sustentabilidade na terceira idade, ao aplicar em um fundo de pensão, o participante faz a roda da economia girar”, complementa Barbosa.



Quer receber informações da FUNCEF por WhatsApp? Envie mensagem mensagem privada no Facebook da Fundação, com nome completo, CPF, matrícula e número de telefone com DDD.

Educação Financeira e Previdenciária

Informações e dicas para quem quer tomar boas decisões financeiras

FUNCEF

Written by

FUNCEF

Terceiro maior fundo de pensão do Brasil, reúne 135 mil participantes e um patrimônio ativo total superior a R$ 61 bilhões | www.funcef.com.br

Educação Financeira e Previdenciária

Informações e dicas para quem quer tomar boas decisões financeiras

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade