Pedir e oferecer (Kit Fora da Caixa)

Toda semana, três ferramentas novas. Apoie o Kit Educação Fora da Caixa e nos ajude a continuar com esse projeto. Clique aqui para apoiar.

Ofertar para aprender, pedir para abundar

Na era da colaboração, pedir e oferecer são ações essenciais para a aprendizagem. Criar espaços férteis que encorajem pedidos e ofertas genuínas das pessoas estimula a troca entre elas e aumenta o valor compartilhado por um grupo ou uma rede.

Na educação, um papel relevante para o professor do século XXI é, antes de oferecer o que sabe, propor formas de explicitar a inteligência coletiva dos alunos. O que cada um deles têm a aprender com o outro? Pedir é uma maneira de estar atento e dar vazão às nossas necessidades internas; ofertar é fazer transbordar, é atentar e nutrir as necessidades do outro.

Por quê?

Ao inspirar, nosso corpo naturalmente faz um pedido de oxigênio e, em seguida, oferta gás carbônico na expiração. O binômio pedido e oferta é um componente essencial do fluxo: representa energia em movimento, fluindo de acordo com as necessidades de cada ser.

No dia-a-dia, pedir e oferecer são duas atitudes simples, mas ao mesmo tempo às vezes não é tão fácil colocá-las em prática. Pedir ajuda, apoio, feedback, acolhimento pode ser visto como fraqueza de quem não consegue se virar sozinho; oferecer algo pode ser encararado como intrusão, prepotência de alguém que não consegue parar de se vender aos outros.

Essa visão faz parte de um paradigma competitivo de escassez, e numerosos exemplos contemporâneos apontam para a ressignificação do pedido e da oferta. O financiamento coletivo talvez seja um dos que mais se destaca: pede-se dinheiro e, em troca, oferta-se valor que se materializa de diferentes formas — produtos, serviços, parcerias etc. Ofertar o conhecimento que já se tem ao outro é, inclusive, uma ótima maneira de aprender ainda mais. Como Sêneca, filósofo dos primórdios da era cristã, afirmou: “quem ensina aprende duas vezes”.

Como?

Existem diferentes técnicas e formatos para estimular as pessoas a explicitar seus pedidos mais relevantes e ofertar o que possuem de melhor. Desde um quadro de recados numa escola até um diálogo presencial ou virtual no contexto de uma empresa, o importante é estabelecer uma forma confiável e segura de convidar as pessoas a “se soltarem”.

Pedir e oferecer relacionam-se com nossos desejos e necessidades. A partir de um mural de post-its dividido em pedidos e ofertas já é possível iniciar a criação de um espaço acolhedor. Pode-se utilizar perguntas como “O que quero/preciso e gostaria de pedir?” e “O que tenho/sei fazer e gostaria de oferecer?” Apresente o mural aos seus alunos, aos seus amigos ou à sua rede de contatos e peça às pessoas para preenchê-lo. Em seguida, converse com as pessoas sobre isso. Um outro jeito é afixar o mesmo quadro no elevador do prédio ou na casa da vó ;-)

Diversas plataformas virtuais como o Cinese, o Nos.vc e o Tem Açúcar apoiam-se no pedir e oferecer. No meio digital, fazer pedidos claros a toda sua rede no Facebook, por exemplo, pode trazer resultados surpreendentes. Da mesma forma, as mídias sociais são ótimas para oferecer e compartilhar valor.

Que outras formas de nutrir espaços de pedidos e ofertas você consegue imaginar? Como diz a filosofia do Dragon Dreaming, qualquer grupo guarda em si todas as capacidades necessárias para prover o que cada pessoa que dele faz parte precisa.

Para saber mais:


Este texto faz parte da série especial do Kit Educação Fora da Caixa, que aborda diversos métodos educacionais inovadores. Toda segunda, quarta e sexta, uma nova ferramenta fresquinha estará aqui.

Essa ferramenta te ajudou? Apoie o Kit e nos ajude a continuar com esse projeto. Clique aqui para apoiar.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.