Personamimética (Kit Fora da Caixa)

Toda semana, três ferramentas novas. Apoie o Kit Educação Fora da Caixa e nos ajude a continuar com esse projeto. Clique aqui para apoiar.

Partindo do melhor do outro para aprimorarmos a nós mesmos

Quem você conhece que sabe escutar os outros atentamente? Qual é aquele seu amigo que tem um estilo curioso e interessante de escrever? Quais são as habilidades que você admira nas pessoas à sua volta?

A personamimética é o ato de aprender com o melhor das pessoas que conhecemos por meio da imitação. Sua parente mais conhecida é a biomimética, um campo do conhecimento dedicado à observação da vida e da natureza com o objetivo de gerar ideias aplicáveis a outras áreas.

Por quê?

A imitação é um processo que a humanidade já tem utilizado há muito tempo com fins de aprendizagem. Os bebês podem aprender a falar dois a três idiomas imitando os dizeres dos adultos com os quais interagem; a indústria japonesa baseou-se na imitação (e posterior aprimoramento) dos procedimentos e máquinas ocidentais; Da Vinci desenvolveu sua pintura copiando quadros que admirava.

Incorporarmos o que está em nossa volta é algo que ocorre frequentemente de maneira inconsciente. Tente observar em você alguns dos comportamentos, gostos, gestos, práticas, crenças e até mesmo visões de mundo que também pertencem aos seus amigos. Quando o imitar é consciente e tem um propósito de autodesenvolvimento, torna-se uma potente ferramenta de aprendizagem.

Como?

A personamimética é útil tanto para se aprender habilidades mais “duras” como a forma com que alguém consegue resolver cálculos, como para aspectos mais sutis de comportamento tais como escuta e oratória.

Talvez você já tenha passado por uma situação em que lembrou de alguém que iria “tirar de letra” determinada questão ou problema. Reflita sobre alguma de suas inquietações atuais e pense como “fulano(a)” a resolveria. Qual habilidade ele ou ela tem que faria a diferença? Como a pessoa manifesta isso? Quais são as falas mais comuns? Comportamentos? Atitudes? Gestos? No que ele ou ela acredita para que aja dessa forma? Qual a visão de mundo que essa crença reflete? Como eu poderia me espelhar nessa pessoa para avançar na minha questão?

Essa reflexão pode ser aproveitada, ainda, como um bom exercício de apreciação — enxergar o melhor do outro — e pode ser feita individualmente ou em pequenos grupos (neste caso, é preciso cuidar para não expor prejudicialmente os participantes). De modo inverso, é possível ainda perguntar a si mesmo ou a outras pessoas o que os outros gostariam de aprender com você. Isso pode ajudar a explicitar comportamentos, habilidades e atitudes que quem está ao nosso redor reconhece positivamente em nós.

Precisamos perder o medo de imitar que a escola nos incutiu por conta da condenação da “cola”. A personamimética é uma forma de nos ajudar a colar para que possamos aprender com quem admiramos e amamos.

Para saber mais:


Este texto faz parte da série especial do Kit Educação Fora da Caixa, que aborda diversos métodos educacionais inovadores. Toda segunda, quarta e sexta, uma nova ferramenta fresquinha estará aqui.

Personamimética é um neologismo. Agradeço muito à minha querida amiga Mariana Baldi por ter me ajudado a criar esse termo com ótimas conversas :-)

Essa ferramenta te ajudou? Apoie o Kit e nos ajude a continuar com esse projeto. Clique aqui para apoiar.