As obrigações que deixo ir.

As obrigações que deixo ir.

Carta para Marianne Cerqueira.

Querida Marianne,

Você, uma desconhecida, trouxe muita luz quando dividiu sua história comigo. Em cada pedaço fui reconhecendo e sorrindo, pois vi ali a oportunidade de nos ajudarmos.

A gente cresce e nasce aonde deveria, nós escolhemos isto. E sabendo desta informação a forma como lidamos com os desafios é o que molda nossa personalidade, nossas frustrações profundas, nossos desencontros e encontros.

Quanto mais perto estamos do que gostamos, desejamos, sorrimos mais autênticos e libertos nos sentimos.

Você foi criada da melhor que podia ter sido, acredite nisso. E como lidou com ela também, mas convido você a pensar sobre.

Se coloque como terceira pessoa, observe os movimentos sem julgar e analise em quais deles você se afastou da sua essência para agradar, para ser exemplar ou porque precisava.

Todas as vezes que mudamos nosso sentir para encaixar damos passos para longe do que somos. Criamos armaduras, imaginamos um mundo onde finalmente seremos felizes.

E ao imaginar este mundo que supostamente, todos aceitam, o nosso sonho de felicidade se desfaz.

O que queremos verdadeiramente não tem haver com os outros, tem somente e apenas, haver com a gente.

E isto é duro.

Pois precisamos abandonar todas as falsas pontes que criamos para nos sentirmos amadas, queridas e respeitadas.

Precisaremos ser apenas o que somos.

Vulneráveis, frágeis, sentimentais, românticas, impacientes, imperfeitas.

Será necessário abraçar cada parte que possuímos e construímos com tanta força e amorosidade que caberá somente o nosso suporte para encontrarmos a alegria que tanto procuramos.

Sim, é solitário muitas vezes.

Eu sentia essa dor latente. Uma carência incurável, um desencaixe sem fim, um cansaço imenso de não encontrar partes parecidas com as minhas do lado de fora.

Até que desisti.

Desisti de encontrar pois elas serão somente elas. Elas estarão com seus pedaços a serem colados e apenas quando cada um deles estiver bem juntinho poderemos ser felizes lado a lado.

Faz sentido?

Faz sentido para você olhar para cada suposta obrigação e deixá-la ir?

Faz sentido sentir suas pernas querendo viajar novamente, seu corpo pedindo nutrição e seu coração dizendo que o caminho é mais para dentro?

Todos nós estamos exatamente assim.

Todos nós estamos buscando o caminho de volta para sentirmos inteiros e completos novamente, pois nós somos.

Olhe profundamente no espelho, perdoe-se e abra um espaço para esta nova pessoa que deseja surgir.

Desejo que as flores te encantem e mostrem em como ser bela apenas florindo. Desejo que a vida mande sinais diariamente e que eles sejam brilhantes o suficiente para enxergá-los rapidamente. Que sua melhor companhia encoraje a se encontrar e ajude nesta nova caminhada.

Aproveite o pôr do sol e faça um pedido, Ele sempre escuta.

Com amor,

Elisa.