Shyamanta Baruak

Pingo de luz.

Carta para Marta Carvalho.

Querida Marta,

O que é liberdade para você?

Como podemos aplicar o tal livre arbítrio quando milhares de amarras são inseridas diariamente?

Amarras muitas vezes belas e sinuosas que acalentam o coração de forma tão completa que não queremos desvencilhar.

Pequenos laços de ternura que nutrimos com cuidado a certeza de seu florescimento.

Contornos sutis sobre o desejo de um futuro diferente do presente.

Tudo que nos prende não é real. Somos seres livres que se movimentam conforme direcionamento pré determinado.

Digo pré determinado pois pensamos e criamos nossa realidade a todo o momento. A questão principal trata-se do apego à ilusões do que nos cerca.

Tudo é mutável como a expectativa que criamos sobre o externo.

Esta é a grande armadilha da liberdade. Esperar que ela fosse exatamente como imaginamos. Que tudo acontecerá conforme a trilha criada anteriormente e começamos então a sofrer por não enxergar o que de fato está em nossa frente.

A indecisão torna o caminho perigoso, já não temos um objetivo traçado e somos levados pela ventania que passa.

Liberdade é confiar e sonhar.

Saber que o caminho certo é aquele que faz sorrir e impulsiona cada vez mais alto. Deste que a gente brilha tanto que todo mundo percebe nossa expansão.

Lá, o cantinho que pensamos toda noite antes de dormir, onde imaginamos nossa vida reluzente, é o que faz sentido.

E por mais imaginativo que seja, completa as entranhas e traz a certeza de estar cada vez mais próximo da realização plena.

Acredite que as construções não são abaladas quando estão em bases sólidas. Não há tempo e distância suficiented que desfaçam o amor verdadeiro.

Nada nem ninguém remove o amor. Ele é insubstituível.

Uma vez plantado com carinho só faz resplandecer a cada nascer do sol.

Quando a liberdade habita conduz com perfeição. As portas escancaram, as flores exalam e tudo encaixa perfeitamente.

O universo é imenso com milhares e milhares de conexões acontecendo a todo o instante. Abraços apertados, choros sofridos, sorrisos tortos e paixões descompensadas.

Existe tanto lá fora. Existe muito aí dentro.

Faça esta simbiose tornar-se algo límpido e claro. Traga luz para seu coração e permita contagiar suas decisões.

A paciência é sábia, a verdade transparente e a coragem, impulso.

Abra as suas asas agora e receba o convite vindo dos ventos. Saibas que é maior do que imagina e tens muito que viver.

Este é apenas o começo.

Que o azul transborde sua criatividade. O verde enfeitice os movimentos. O amarelo contagie a alegria. O vermelho enalteça a força e o rosa embale suas palavras.

Com amor,

Elisa.