Escolhendo o Nome de seu Filho

Ter um filho é de uma responsabilidade imensa e sabemos que todas nossas decisões impactam diretamente na vida de nossos pequenos. Sendo assim, percebo que a grande primeira escolha dos pais é decidir qual será o nome de seu filho.

Existem muitos pontos nos quais devemos nos atentar neste momento. Então listo aqui aos que mais devemos considerar sem que haja arrependimento no final:

Sexo

Vamos ao ponto inicial. Já sabendo do sexo do baby, é possível filtrar bem suas possibilidades. Existem alguns nomes que são possíveis de alterar somente o sufixo e manter a estrutura desejada, tais como Bruno/Bruna ou Daniel/Daniela.

Existem outros também que são comumente usados por homens e mulheres, dependendo da cultura e região. Por exemplo Yuri, que é utilizado por ambos os sexos aqui no Brasil mesmo.

Referências

É agora que entra de vez o brainstorm dos pais. Referências bíblicas, de quadrinhos, desenhos animados, mitologias de diversas culturas e filmes brotam como se não houvessem amanhã. Um clássico exemplo brasileiro é dar nomes de jogadores destaques da Copa do Mundo: em 2014 o nome David Luiz foi um dos mais registrados em cartório.

Aos nerds, já vi inúmeros Kalels e Anakins. Confesso que na minha lista de nomes percorreram muitos deste universo. Afinal, qual pai nunca quis colocar o nome de Luke em seu filho só para dizer “I’m your father!” ein?!

Enfim, existem várias referências que giram em torno da realidade dos pais e buscar um nome neste meio significa, desde já, inseri-lo também, mesmo que futuramente não goste rsrs.

Significado

Nesta terceira etapa vamos analisar mais friamente o que cada nome traz consigo. Os nomes são como nós nos identificamos na sociedade e nos tempos antigos eram formados de acordo com as características das pessoas ou uma previsão/desejo do que os pais desejavam aos seus filhos.

Exemplo: Otávio, do latim octevus que significa oitavo, ou seja, geralmente usado pelo oitavo filho da família. Já Leonardo vem do germânico leonhard e significa “bravo como um leão”.

Por isso que em povos antigos quem nomeava os nascidos das tribos eram os anciões, considerados os mais os sábios do povo, determinando por muitas vezes o futuro da criança. Hoje os nomes ficam mais por conta de estética e escolha própria mesmo dos pais.

Tradição

Aqui entra um pouco do sobrenome e o nome da família que carregamos. Por eu ser oriental, destaco muito a importância do nome que herdei em respeito aos meus antepassados e a história construída até minha geração.

Tão importante o nome da família que, em diversos países, somos inicialmente conhecidos pelo nome da família (que no caso é visto como cartão de visita) para depois sermos apresentados por qual integrante você representa (aqui entra o primeiro nome).

Ou seja, antes de tudo, a reputação de sua família é o mais importante pois ela nos credencia com suas origens, honra e nossa qualidade moral. Isso é meio perdido no Brasil, mas em muitos países ainda é muito forte.

Bom Senso

Tenha em mente que seu filho carregará este nome para sempre (ou até poder trocar de nome quando for maior de idade). Então evite colocar nomes que tenham um cunho pejorativo pois ser zoado a infância inteira pelo seu nome não é fácil.

Muitas crianças sofrem com isso, o que pode afetar e muito em sua autoestima e socialização. Pense bem antes de registrar, mesmo que seja um nome que você acha bacana, pense duas vezes.

Montando o Nome do meu Filho

Agora sabendo destes fatores, eu e minha esposa fomos montando o nome de nosso filho:

  1. Para seu primeiro nome foi escolhido Cedric, pois de acordo com nossas referências, gostamos muito dos povos antigos, em especial os nórdicos que sempre traziam o nome com um significado forte para quem carrega. Neste caso Cedric significa “chefe guerreiro”, significado este que almejo ao meu filho.
  2. De acordo com minha descendência nipônica, é de praxe sempre colocarmos um nome japonês aos nossos filhos. Escolhi Satoshi por este ser o nome de meu pai, e como meu pai é minha grande referência de vida, nada mais perfeito que meu filho tenha este elo com seu avô.
  3. Ele faz parte de duas famílias (materno e paterno). Então decidimos colocar os nomes de nossas duas famílias: Baptista por parte de mãe e Naito por parte de pai.

Então ficou assim: Cedric Satoshi Baptista Naito.

Muitas pessoas dizem que é estranho o nome Cedric. Outras acham lindo, diferente e exótico. Buscamos ornar um misto de diferente para fugir do comum com algo que nos agrade sem “punir” nosso filho. Como essa nova geração viveu no universo Harry Potter, este nome ficou mais ambientado nos dias de hoje na cultura pop.

Esta é a história do nome de meu filho. E o de vocês? Como foi?


Originally published at emcasacompapai.com.br on February 22, 2016.