Agora em vermelho

É isso mesmo, em vermelho.

Eu decidi dar este nome e criar um blog mais pessoal do que o outro que escrevi na época do Mestrado. E nada melhor do que “em vermelho” para me descrever agora. Já passei pela fase cor de rosa da minha vida e estou na minha fase vermelha, uma fase mais madura, uma fase cheia de novidades e acontecimentos, uma fase muito viva, muito vermelha.

E porque vermelho?

Porque todo mundo pensa que eu adoro azul, e sim até gosto, mas gosto muito mais de vermelho.

Eu pensei em comprar um diário e começar escrever, mas seria algo muito só meu e eu adoro escrever e dividir minhas experiências. Então aqui está um diário digital, algo que se daqui um tempo eu quiser imprimir, terei um livro de histórias.

Eu nem sei por onde começar a compartilhar, mas só vou divulgar quando eu sentir que está interessante o suficiente. A ideia é antiga mas só agora aflorou de verdade. Acredito que fazer 32 anos ontem ajudou muito. Quando acordei me ocorreu o pensamento: Poxa vida 32 já! Não me sinto velha, ao contrário, me sinto muito bem, e não posso mais adiar a vontade de escrever algo meu, e principalmente escrever, essa é sem dúvida uma grande paixão, escrever!

De ontem pra hoje entre uma coisa e outra que eu fazia ao longo do dia foram surgindo as ideias, o título, os assuntos e agora aqui estou, sem adiar mais.

Fiquei pensando muito em o quanto pessoal pode vim a ser e o quanto vou conseguir contar de minhas experiências, porque sempre tem um fato ou outro que só contamos para a melhor amiga, e olha lá. Então decidi ser sempre muito sutil, mencionar mais de experiências e aprendizados do que de fatos e pessoas. O importante é que quando for lido acrescente um pouco de mim em quem está lendo, transmita um sentimento de troca de experiências e te leve a pensar: Nossa! aconteceu algo assim também comigo! Ou quem sabe: Que legal, deve ter sido muito interessante ou divertido!

E o mais importante; em qualquer momento do meu futuro, quando eu ler, mesmo que sendo sutil aqui, eu me recordarei em detalhes de cada situação vivida e dividida. Porque não sei vocês, mas minhas lembranças tem cheiro, gosto, cores; eu consigo me lembrar muito bem de cada momento que vivi e que me marcou de alguma maneira.

Vai ser um vai e vem de acontecimentos, eu posso me lembrar de algo que já passou há bastante tempo e querer escrever, como posso escrever sobre algo que estou vivendo agora. Ah e eu posso também só viajar em pensamentos e palavras, como fazemos quando conversamos com uma amiga por exemplo. E por falar nisso, gostaria de pode escrever em Italiano e Inglês também, mas não sou boa escritora em nenhum dos dois idiomas, ainda.

Ainda não tenho ideia de como assinar ao final dos textos, provisoriamente vai ser assim:

Gi Rosso, em vermelho.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gi Rosso’s story.