Danilo Motta
Jun 2, 2016 · 4 min read

Desta vez, o entrevistado é Marcello Nicolau. Ele é dono de um bar voltado para o público LGBT e é candidato a vereador pelo PMB no Guarujá.

Por que você quer ser candidato a vereador?

Estou como Presidente da Associação da Orla do Guarujá há 7 anos. Lutamos pela qualificação profissional e, em parceria com o Convention Bureau de Santos e região, divulgamos toda a Costa da Mata Atlântica. Quando falamos de qualificação estamos nos referindo à manipulação dos alimentos, mas sobretudo, ao bem receber do turista. É claro que também orientamos os comerciantes em como receber e tratar o público LGBT, afinal o Pink Money é uma fonte de renda muito lucrativa. Eles são orientados a respeitar todos os tipos de gêneros. Temos avançado muito e, o mais importante, não temos notícias de ocorrências negativas no atendimento. Outra posição que me orgulho bastante e que na Orla da Enseada existem hotéis e quiosques gay friendly, atraindo cada vez mais este valoroso público. Acredito que, sendo eleito, conseguirei ampliar estas ações e viabilizar outros projetos para o bem comum de todos.

Para você, qual a importância de candidaturas LGBT nas eleições municipais?

Sou gay e casado, enfrentamos muitas barreiras para ficarmos juntos e nos posicionar no mercado de trabalho. Quando um gay assumido e atuante luta pelos seus direitos, ele acaba mesmo sem querer sendo exemplo para muitos que estão oprimidos. Acredito na inclusão social, seja de pessoas com mobilidade reduzidas ou sofrendo com o crime da homofobia, racismo e outras atrocidades desta sociedade conservadora que vivemos.

Você é candidato pelo PMB. Como funcionará uma candidatura masculina pelo Partido da Mulher Brasileira?

Esta pergunta é, no mínimo, fruto da intolerância social. Imagina que hoje existem cotas obrigatórias nos partidos para filiarem mulheres. Um absurdo, este direito deveria ser respeitado e não imposto. Mas fique tranquilo, escuto esta pergunta a todo o momento. E o PMB tem como objetivo garantir e ampliar não só os diretos das mulheres mas de todos os outros gêneros. Encontrei neste novo grupo uma esperança.

Como avalia a gestão da prefeita Maria Antonieta de Brito no que diz respeito a políticas voltadas pala LGBTs?

Não tem como avaliar o que não existiu. E não foi só na gestão dela, em nenhuma outra gestão anterior tivemos avanços nas políticas públicas para o público LGBT. Parece até que nós não existimos.

Você tem um bar voltado para o público LGBT. Como o poder público pode atuar para garantir espaços de lazer para LGBTs, no âmbito municipal?

Visualizo várias frentes neste ponto. Por exemplo ampliar nas escolas as campanhas contra a exploração sexual e os abusos sexuais sem esquecer da exploração sexual infantil, que existe em vários destinos turísticos e aqui não é diferente. Já realizamos campanhas nos comércios da cidade e conseguimos diminuir muito as ocorrências. Também inserir em casas de apoio à polução de ruas ajuda psicológica para travestis, gays e outros gêneros que sofreram violência sexual e outros tipos de violências. Capacitar professores através de palestra e cursos para saber reconhecer e respeitar os alunos na sua diversidade de gêneros. Ampliar as opções turísticas para atrair cada vez mais este público consumidor . Gostaria de realizar durante a semana da Parada Gay em São Paulo uma Beach Party. A data é propícia pois recebemos na cidade muitos gays estrangeiros que vêm para a Parada em Sampa, mas antes acabam visitando a praia mais próxima. Deixamos todos os anos de aproveitar este potencial.

Quais outros projetos devem ser priorizados em seu eventual mandato?

Em recente viagem a Buzios, visitei a Praia da Azeda. E tive uma grata surpresa ao me deparar com um acesso sustentável em material que não agride a natureza do local. Maravilhado com a possibilidade de um dia viabilizar tal acesso à Praia do Éden, pesquisei como seria possível. Então descobri que existe uma verba destinadas às Estâncias Turísticas do Estado de São Paulo chamada Verba DaDe, que tem como objeto principal modernizar e viabilizar os destinos turísticos como a nossa linda ilha. Até o momento a Praia do Éden , tem um acesso difícil , inseguro e sem iluminação ou acessibilidade. Com todos estes obstáculos o destino perde para outros que valorizam as suas fontes naturais de geração de renda. Os recursos dos convênios que essas cidades celebram com o DADE provêm do Fundo de Melhoria das Estâncias, que é mencionado no artigo 146 da Constituição do Estado de São Paulo e funciona de acordo com a lei 7.862/1992. A receita que o Fundo disponibiliza para os municípios é composta pela somatória dos Impostos Municipais de todas as estâncias por meio da apresentação de seu DREMU (Declaração de Receita Tributária Própria Municipal). Há também uma dotação oriunda do Governo do Estado no próprio Plano Plurianual. O orçamento que é disponibilizado para cada cidade, anualmente, também varia de acordo com a participação do próprio município na composição do Fundo de Melhoria das Estâncias. Vamos juntos desenvolver e cobrar projetos para valorizar a nossa ilha.

Empoderamento LGBT

Este espaço é dedicado a destacar a participação política de LGBTs. Fique à vontade para enviar sugestões de pauta!

Danilo Motta

Written by

O terror da concorrência || jornalistadmotta@gmail.com

Empoderamento LGBT

Este espaço é dedicado a destacar a participação política de LGBTs. Fique à vontade para enviar sugestões de pauta!

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade