Não faça petições se estiver puto com uma série!

Quando estiver insatisfeito, faça fanfics.

Jota Gaivota
Oct 8 · 2 min read

Este artigo foi publicado em 23 de Maio de 2019 no site The SuperZoom.

Mais uma vez os fãs criaram uma petição para que uma obra audiovisual seja refeita pois o final as desagradou. O alvo da vez é Game Of Thrones. Segundo o Rotten Tomatoes, agregador de críticas americano, a oitava temporada foi a pior avaliada de toda a série.

Como ressaltou Timon Singh, no tweet abaixo, essa atitude lembra o maravilho filme Louca Obsessão (!992, Rob Reiner), baseado num livro homônimo do Stephen King. Nele o escritor Paul Sheldon sofre uma acidente na estrada e é salvo pela enfermeira Annie Wilkes, sua “fã número um”. Sem escolha, por estar com os pés quebrados, ele acaba se deixando cuidar pela mulher e mostra a ela seu último manuscrito no qual a personagem principal da franquia morre. A trama degringola da maneira mais macabra possível devido a indignação da fã com a narrativa estabelecida pelo autor.

Tradução livre: Com vários grupos pedindo que a oitava temporada de GOT e Os Ultimos Jedi sejam refeitos, será que a maioria das pessoas assistem a Louca Obsessão e pensam que Annie é a heroína?

De onde provém essa indignação? Meu crítico de mídia preferido Jon Greenway (@thelitcritguy) publicou no artigo Fans Are Ruining Game of Thrones — And Everything Else que isso é resultado da relação de consumo dos fãs com a obra. Literalmente Nós investimos nosso tempo nas séries e livros, nossa atenção, nosso dinheiro com o merchandising (parte essencial do modelo de negócios contemporâneo). Então quando o final de nossa série favorita não corresponde a expectativa criada, ou melhor, quando nosso investimento não da o retorno esperado, nós nos frustramos. Nos indignamos. Exatamente como um investidor de ações na bolsa. É puramente a lógica de mercado aplicada a cultura.

O mesmo já aconteceu com Os Últimos Jedi. As decisões que desagradam aos fãs mais ferrenhos, e conservadores, são retrucadas com petições e financiamento coletivo que não impactarão em nada. Hazel Monforton discorda da atitude. Para ela a resposta correta é o debate, o dialogo. O porque dessas escolhas terem sido feitas durante a produção? A cadeia de decisão de uma série como GoT, ou Star Wars, é imensa. Defender uma ideia é trabalhoso demais então como essa ideia venceu as demais? Uma crítica que analise como o contexto em que a série foi feita influenciou as decisões que resultaram no produto final.

Porém Jon apresenta outra sugestão: a produção de fanfics. Essas versões alternativas, derivadas do cânone, das séries, livros e filmes podem ser extremamente criativas. Uma produção útil de cultura, de arte por excelência, desinteressada no Mercado, em resposta as decisões corporativas.

Aliás há excelentes memes com a Brienne fazendo exatamente isso com o livro da Guarda Real

Tradução: “Prefere incesto a uma relação saudável”

Enfim Cinema

Política, Economia e História. Enfim, Cinema.

Jota Gaivota

Written by

Enfim Cinema

Política, Economia e História. Enfim, Cinema.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade