Corajosos e intocáveis

O dia em que nos tornaremos corajosos e intocáveis não está no futuro. O futuro é apenas uma imagem distorcida do dia em que eu morrerei atropelado na rua em frente à minha casa e você morrerá de alzheimer. O futuro é nossa ilusão, guardamos ela com carinho no fundo de uma caixa escondida porque gostamos de morrer lentamente. Veja que merda… O caminho que nos tornará corajosos e intocáveis também não está em qualquer lembrança do passado. O passado é um cozido engordurado de fatos que já não existem, quanto mais esquentamos, mais os sabores se misturam, mas não há nada lá, podemos comê-lo e nossas barrigas continuarão vazias. Eu diria que já somos, agora mesmo, corajosos e intocáveis, mas você abriria um sorriso para dizer que eu sou um idiota e que isso é apenas uma mentira bonita. Por que buscaríamos o sentido de nós mesmos nos outros se nós mesmos fizéssemos sentido? Eu responderia que essa é a pergunta principal e que não deveríamos tentar respondê-la. Você diz que não dormirá até encontrar a resposta. Por isso tantas olheiras. Digo que talvez seja assim porque somos impróprios, insuficientes, imorais e temos que corromper os outros em troca das migalhas de aceitação. O terapeuta da revista de fofocas descobre o significado da vida, do universo e tudo mais. 42. Talvez não haja necessidade de fazermos sentido, talvez só precisemos nos acostumar com o absurdo. Você não fuma, mas pega meu cigarro e coloca na boca, e pergunta se faz sentido para mim. Eu digo que sim. Eu pergunto se faço sentido para você. Você me manda à merda.