Há uma fumaça no cume da montanha

“Unspoiled monster” por Agnes Cecile no Deviant Art

Para e pergunta a ti mesmo: 
Que cor é a fumaça do cume da montanha?

Não é rasa nem é densa,
Não congela nem condensa,
Não é branco nem é preto
Nem movida a graveto.

Para e pergunta a ti mesmo:
Que cor é a fumaça do cume?

A cor é inexistente
De perto, transparente
Rio só, fluente
Dialogante eloquente

Para e pergunta a ti mesmo:
Que cor é a fumaça?

Se a cor inexiste
E a tudo no mundo resiste
É certo afirmar que ela consiste
Num murro cego, sacro e triste.

Para e pergunta a ti mesmo:
Que cor?

Dúvida cálida é essa que permanece
Nos corações suntuosos de quem aquece
E logo descobre-se a quem ela apetece 
Sofrendo, calados, num verdadeiro agreste.

Para e pergunta a ti mesmo:

Se a montanha é subjetiva,
A fumaça é subjetiva
E a cor é subjetiva,

Para e pergunta a ti mesmo:
Quem és?