Miguel Esteves Cardoso afirmou uma das frases mais sensatas e verdadeiras que jamais ouvi. Só por isso, já considero que merecesse o Nobel da Literatura. “O amor é fodido.” É!!! O amor é a maior foda que as nossas emoções inventaram para fazer de nós, “humanos”, os seres mais frágeis e submissos à face desta Terra que se diz planeta. Mas que merda é, afinal, o amor? Que se passa dentro de nós, quando nos conectamos, com fios invisíveis que mais parecem arames farpados, a alguém e decidimos dizer, de peito aberto: “Eu não vivo sem ti”??? Mas é claro que vivo! É claro que vivemos. Então, que raio fizemos até essa pessoa cruzar a nossa vida? Estivemos mortos?! Em hibernação?! Éramos vegetais que, de repente, ganharam vida numa personificação sublimada por esse dito maravilhoso “amor”? O amor é um milagre? Que nos torna clones do Pinóquio, outrora de madeira? Deixem-se de merdas, que nem todos somos Gepetos, sim? “O amor é fodido”! É capaz de nos tornar na melhor e na pior pessoa, no rasgar de um segundo. É capaz de nos fazer cair na maior amargura, mesmo que ainda consigamos escutar o eco da gargalhada de felicidade, que soltámos, no tracinho anterior do relógio. 
O amor é a maior loucura que a nossa mente cria, e parece que todos estamos condenados a viver em flashes de uma bipolaridade oscilante, mas felizes (diz-se!). 
“Amar é a melhor coisa do Mundo”. Outra das antíteses mais estapafúrdias que se ouve, lançada aos quatro ventos dessa rosa sem pétalas. Amar é a melhor coisa do Mundo, se a polaridade magnética de duas bússolas, marcarem o mesmo Norte, num ponto de encontro coordenado, porque caso contrário, amar é a pior invenção da humanidade. O maior responsável por atrocidades humanas, em amores desumanizados. Por amor se nasce, por amor se mata. Quem me explica a ambiguidade paradoxal do que se proclama o melhor sentimento do Mundo? 
O amor faz sentir, mas nunca faz qualquer sentido. É sempre desprovido de qualquer nexo e fundamento. É o inquisidor de toda a nossa inteligência e pragmatismo. É o responsável pelas maiores dores que nos afligem, mas… atenção: O “amor é lindo”! Cambada de esquizofrénicos emocionais que somos, quando o assunto é o amor. Se me perguntarem: “Mas afinal, tu não acreditas no amor??” Acredito…. Pois é claro que acredito. Que remédio tenho eu! Também já senti na pele as vergastadas do melhor sentimento do Mundo. Também eu já sorri, um sorriso mais ofuscante do que Sol, por esse sentimentozinho corrosivo de toda a lógica. Acredito, mas não sei muito bem se quero acreditar que o amor é isso tudo. Talvez, não passe de um papão que faz com que nos magoemos, consecutivamente, uns aos outros. Ora, fodo-te eu, ora fodes-me tu. E quanto mais penso nisso, mais me lembro de Miguel Esteves Cardoso. “ O amor é fodido”… Oh, se é!
Estamos todos bem fodidos no que toca ao “melhor sentimento do Mundo”. Mas enquanto amamos… olha, que se foda! Amanhã, logo arranco as farpas do coração e grito aos sete ventos: “Foda-se… O amor é uma merda! Nunca mais caio nisto.” E choramos as pedras da calçada, até que o mesmo dito amor, aquele que nos matou, nos faça renascer das cinzas, como a épica Fénix. 
Digam lá afinal, o amor não é o quê mesmo? Fodido?! Ah, pois não… Não é pouco!

Marlene Romão in “# Deixa-te de Merdas”