Assinaturas, YouTube Red e a produção de conteúdo na publicidade.

Há 10 anos atrás eu jogava muito video-game, uma criança de 13 anos em 2005 com certeza perdia muitas horas do seu dia na frente de uma tela jogando PlayStation. Perdi outras tantas assistindo meu irmão ser Campeão Mundial de F1, um dia, entre um dos tantos que ele ganhou diversos títulos nessa carreira vitoriosa de piloto de video-game ví uma placa de publicidade nesses jogos. Nesse dia eu entendi que ele não estava ali por um acaso. Esse talvez tenho sido o dia que eu resolvi fazer publicidade.(maldito dia)

A partir dai passei a notar que diversos jogos também passaram a receber publicidade, achei realmente ótimo, os desenvolvedores teriam mais dinheiro, desenvolveriam jogos melhores, quem sabe até mais baratos, afinal eles estavam ganhando mais. Jogos de skate tinham camisas, bermudas, tênis e skates de marcas verdadeiras, no futebol o Ronaldo usava sua Nike Mercurial Vapor, Need For Speed tinham outdoors, marcas de pneus, peças, os jogos eram mais reais, tinham mais qualidade, todos estavam felizes.

10 anos depois e a publicidade não avançou. A publicidade se esforça cada vez mais para tornar a internet a mídia com melhor mensuração de resultado enquanto a internet se esforça cada vez mais para ser — e já é — a mídia com melhor interação com o usuário. Pode não parecer mas são coisas bem distintas, afinal não dá pra mensurar qualidade de interação.

Semana passada foi anunciado o lançamento do YouTube Red, a plataforma paga do YouTube, sem anúncios, onde vc pode salvar vídeos para assistir offline, sem anúncios, onde vc pode usar outros aplicativos ou bloquear a tela do seu smartphone/tablet e é sem anúncios. O que todo mundo gosta de destacar é que é sem anúncios. Por que anúncio virou algo chato? Nunca foi a coisa mais legal do mundo mas, quem nunca imitou um locutor de propaganda, ou cantou aquela música do comercial em algum momento? Onde foi que tudo deu errado e agora as pessoas não querem mais receber uma mensagem de uma marca?

Nos últimos 10 anos a internet se resumiu em, gigantes especializados e redes sociais, empresas como Netflix e Facebook detém boa parte do tráfego da internet americana e a cada ano mais da internet mundial. Se você quer ver um filme ou uma série Netflix, ouvir uma música Spotify, ver um vídeo YouTube. A partir de agora todos esses sites oferecem sistema de assinaturas sem propagandas, ou seja, ninguém quer ver uma propaganda enquanto está se divertindo, ou seja, quando está consumindo entretenimento.

A publicidade na internet virou algo chato, mecânico, barato, impessoal e mensurável. As pessoas pagam para não ver anúncios, quando as pessoas pagam para não fazer algo é porque temos que repensar. Faça um teste, instale um Adblock. Agora comece a notar quantas empresas ainda continuam impactando você com propaganda, com a marca dela e com os produtos dela e mais importante do que isso com a posição dela, com os ideais dela. Quando a publicidade vence a barreira do Adblock é quando a marca cria conteúdo e não publicidade.

Fazer isso é mais simples do que se imagina, produza conteúdo. Vamos voltar a 10 anos atrás, todas as marcas no vídeo-game me impactaram, em um momento de lazer, gerando boas lembranças, deixando claro que ela apoia algo que eu gosto. Pense onde seu cliente está, ele gosta de música, audiovisual, série?

Por favor pensem nisso, para as pessoas pararem de pagar pra não ter que ver anúncios.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.