Um viva à minha liberdade

Doce e deliciosa liberdade. Sem compromissos, sem responsabilidades, sem empatia. Faço o que quero, essa é a minha lei!

Beijo bocas atrás de bocas, transo com um, dois, dez, cinquenta se for o caso! Que se fodam os sentimentos, que se danem as emoções. Sou livre, sou libertina, sou a resistência. Não existe amor para mim que não seja meu amor próprio.

Amigos, namorados, família… Quem precisa disso? Eu me basto. Magoo quem for, se for isso que tiver vontade de fazer. Não me importo com você, não me importo com vocês.

Ah mas chegou um dia… Aquele dia em que olhei para o meu quarto e não vi ninguém. Decepcionei todos que se dispuseram a me amar em prol da minha ideologia distinta. Onde estão todos?

As amigas se foram. Os homens que me amaram também. Briguei com a minha família. Quem sobrou só quer me comer, nem tem tempo para ouvir o que tenho a dizer…

No meu aniversário, ninguém foi. Quando passei no mestrado, ninguém me parabenizou. Quando consegui minha própria casa, entrei sozinha.

Hoje, fiz tudo o que queria. E não tenho ninguém. Ninguém se importa comigo. Nem eu.