Exposição| contramemória: vestígios de (des)histórias

No dia 28/09 o Espaço f/508 realizou a abertura da exposição “contramemória: vestígios de (des)histórias”. Sob orientação de Humberto Lemos, a exposição traz o trabalho dos jovens talentos Marcela Rossiter e Nilson Filho.

Rascunhando o que se vêm à mente em tempos sombrios, pensando em LGBTTS, o que nos vêm à cabeça é resistência. Pensamos em memória, vivência, posição e existência.

“contramemória: vestígios de (des)histórias” trata sobre todos esses pontos pensando em como isso afeta a vida de quem vive e viveu essas histórias.

Ambos artistas, representados pela Galeria f/508, vivem essa realidade. Eles mostram, a partir de suas vivências e recapitulando uma memória LGBT coletiva, como os pensamentos que antes viviam no medo se tornaram realidade, afetando suas identidades e em contraponto, reforçando a necessidade de luta.

Marcela Rossiter é brasiliense e graduanda em Ciências Sociais, pela Universidade de Brasília. Fascinada pelo estudo do passado e da identidade, dedica seu tempo a essas investigações. Utiliza de diversos suportes para abordar, principalmente, questões de gênero, sexualidade, opressão e memória afetiva. Já participou de duas exposições coletivas, no Noviembre Fotográfico, em Cuba, e na Mostra 20.16, no Espaço f/508 de Fotografia. Teve, também, seu trabalho projetado no Festival de Fotografia de Tiradentes, em 2017. Hoje, integra um grupo de pesquisa em linguagens visuais, com orientação de Humberto Lemos.

Natural de Minas gerais e residente em Brasília, Nilson Filho começou seus trabalhos de pesquisa em linguagem visual através da fotografia em 2014. Com forte influência Bauhaus, utiliza-se de apropriação de fotografias encontradas em arquivos públicos ou em seu acervo de imagens vernaculares para exprimir conceitos inerentes às suas vivências e signos.

Confira alguns registros do evento:


Originally published at f508.com.br.