Perfil | Hélène Amouzou

Por Marcela Rossiter, em 07/02/2017

Amouzou nasceu em 1969, em Togo, no oeste do continente africano, e reside, atualmente, na Bélgica. Seu trabalho consiste, em sua maioria, em autorretratos, ou fotos de seus bens, que representam seus conflitos de identidade e pertencimento, sendo uma mulher negra em situação de exílio.

Em diversas fotografias, o símbolo da bagagem traduz a constante sensação de fugacidade da artista que, junto a esse objeto, se acomoda e, como um fantasma, se desintegra diante da câmera. O sótão, florido porém destruído, demonstra a fragilidade e a incerteza de alguém que depende do sistema burocrático para continuar sua vida.

A fotógrafa utiliza, até hoje, sua máquina analógica que, segundo ela, lhe permite pensar a imagem de forma mais detalhista. Francesca Woodman é uma de suas grandes referências, junto a nomes como Duane Michals e Francis Bacon.