Perfil | Lázsló Moholy-Nagy

Publicado originalmente em 01/02/2017

Espaço f/508
Jan 22, 2019 · 3 min read

Nascido na Hungria, em 1895, Lázsló Moholy-Nagy estudou Direito até o início da primeira grande guerra, quando teve de servir na artilharia do exército austro-húngaro. Retornou devido a um ferimento e abandonou os estudos para ingressar em uma escola de arte.

Image for post
Image for post

Influenciado pelo Construtivismo — e dissociado de partidarismos, Moholy-Nagy iniciou suas pesquisas e experimentações direcionadas ao desenvolvimento de uma nova forma de expressão artística que fosse coerente com o “novo mundo”.

Image for post
Image for post

Nessa época, mantinha contato com a Facção Construtivista Internacional, os artistas húngaros exilados e os construtivistas russos, dentre eles, Walter Gropius, fundador da escola Bauhaus — onde, mais tarde, viria a se tornar mestre.

Image for post
Image for post

Como extensão fisiologicamente aperfeiçoada do olho humano, a câmera fotográfica permitia que o mundo se apresentasse de formas ainda não vistas a olho nu. Foi, portanto, através da utilização da fotografia como meio de criação que Moholy-Nagy direcionou seus estudos em três vertentes distintas: os fotogramas, a fotografia propriamente dita e a fotomontagem (fotoplastik).

Image for post
Image for post

Moholy-Nagy iniciou seus experimentos decompondo o processo fotográfico para alcançar seu estado primário — elemento sensível, luz e objeto que a modula. Dessa forma, desenvolveu a técnica conhecida como Fotograma, que consiste basicamente em iluminar um objeto, projetando sombras contra o papel fotográfico ou outro meio sensível, movimentando a fonte de luz ou o objeto durante a exposição. Este processo representa uma ruptura com a imobilidade antes requerida para o registro.

Image for post
Image for post

Herança do Construtivismo, a relação entre forma e espaço era de grande importância para o fotógrafo. Era de costume que seus enquadramentos nada usuais valorizassem essa questão, a inter-relação entre luz e sombra, e ainda instigassem o olhar do expectador pela ausência de orientação — para isso, omitia a linha do horizonte ou utilizava pontos de vista capazes de desestabilizarem a percepção. A fotografia era, para ele, um fenômeno sensorial que não deveria imitar a natureza.

Image for post
Image for post
Image for post
Image for post

Lázsló Moholy-Nagy morreu de leucemia em 1946, em Chicago, nos Estados Unidos.

Para conhecer mais sobre a vida e a obra de Moholy-Nagy, acesse aqui.

Originally published at f508.com.br.

Revista f/508

A Revista f/508 é um espaço online dedicado a publicação de…

Espaço f/508

Written by

Revista f/508

A Revista f/508 é um espaço online dedicado a publicação de conteúdo, entrevistas e outras informações relacionadas à fotografia, arte contemporânea e cultura. O f/508 atua em Brasília e Lisboa, voltado para estudo, difusão e produção fotográfica e artística.

Espaço f/508

Written by

Revista f/508

A Revista f/508 é um espaço online dedicado a publicação de conteúdo, entrevistas e outras informações relacionadas à fotografia, arte contemporânea e cultura. O f/508 atua em Brasília e Lisboa, voltado para estudo, difusão e produção fotográfica e artística.

Medium is an open platform where 170 million readers come to find insightful and dynamic thinking. Here, expert and undiscovered voices alike dive into the heart of any topic and bring new ideas to the surface. Learn more

Follow the writers, publications, and topics that matter to you, and you’ll see them on your homepage and in your inbox. Explore

If you have a story to tell, knowledge to share, or a perspective to offer — welcome home. It’s easy and free to post your thinking on any topic. Write on Medium

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store