A proposta final?

Hoje, 31/08, a Vivo não só me enviou a gravação que solicitei a primeira vez no dia 12/07, como também me ligou oferecendo uma solução.

Proposta registrada no site do Consumidor.

Transcrevendo:

Data: 31/08/2016 17:21:35
Autor: Vivo — Telefônica (GVT)Texto:
Estabelecemos contato com Sr. Fabio em 31/08/2016 ás 16:53 através do acesso 11942006761 e esclarecemos que de acordo com a análise da Gravação, identificamos que foi realizada a oferta indevida de isenção da linha MultiVivo no valor de R$54,99. Diante da oferta realizada, acordamos com cliente o crédito referente a linha MultiVivo, sendo concedido de forma automática, multiplicando os 12 meses, vezes o valor de R$54,99, totalizando o valor de R$604,89 que será concedido de forma integral, mensalmente até finalizar o valor de crédito disponibilizado. Salientamos que do valor concedido no dia 19/08/2016 de R$409,56, cliente possui ainda o valor de R$279,49, pois a conta 08/2016 com vencimento em 10/09/2016 foi gerada com o valor zerado, sendo concedido o crédito. Sendo assim, cliente terá o total de R$884,38 de crédito em conta. 
Ressaltamos que o crédito concedido, não gera fidelização aos acessos. Nos mantemos a disposição através do e-mail se necessário.

A pedido de Roberta, que me ligou, enviei a minha avaliação para todo o processo iniciado no dia 19/08:

Data: 31/08/2016 17:30:05
Autor:Fabio Paiva Reis
Resolvida: Sim
Nota de Avaliação: 3
Texto de Avaliação: Agradeço imensamente a Luana e Roberta, que mantiveram-se em contato comigo desde o dia 19 de agosto até hoje, quando me enviaram a gravação solicitada e propuseram uma solução aceitável. A elas, o meu respeito. 
Quanto ao atendimento da empresa em geral, deixo aqui a minha reclamação. Como dito inicialmente, tento solucionar este problema desde o dia 12 de julho, passando por Procon, Anatel e, finalmente, Portal do Consumidor. Esperei por essa gravação e solução por quase 2 meses, sendo mal tratado, desrespeitado, chamado de mentiroso, obrigado a ouvir que a Vivo não poderia fazer nada no meu caso, que “era isso mesmo, não há o que fazer”. Essa falta de respeito da empresa me entristece principalmente porque não importa quanto dinheiro eu pague mensalmente a ela, sei que ela sempre me tratará dessa forma. Sempre, não, porque Luana e Roberta me trataram com respeito. Só que esse tratamento, o correto, demorou muito a vir, e eu vi de perto a nojeira que é o atendimento normal da Vivo.

Declaro encerrada, portanto, esta etapa. Agora é comparecer ao Juizado Especial Cível no dia 17/10 para a audiência, pois pretendo receber por danos morais. Como escrevi na mensagem acima, fui absolutamente maltratado nesses quase 2 meses e me vi obrigado a travar uma verdadeira batalha para provar algo que inicialmente eu nem corri atrás — eles mesmos me ligaram e me ofereceram, e depois vieram dizendo que o que me foi ofertado não existia.

Aguardem notícias.