Os 3 maiores erros na hora de se organizar

Fique ligado pra não dar um tiro no próprio pé

A minha jornada rumo à uma vida organizada começou há mais de quatro anos com um post da Thais Godinho (dona do blog Vida Organizada) sobre mapas mentais. A experiência foi como abrir a maravilhosa porta de Hogwarts e encontrar um arsenal de feitiços e poções à minha disposição. Desde então eu venho surfando nessa onda.

Tive a oportunidade de testar muitas coisas diferentes, dar conselhos para amigos íntimos sobre como se organizar e de puxar esse assunto em quase todo lugar que ia. Sempre houve quem quisesse conversar e trocar figurinha comigo; ainda bem. Conectar com outras pessoas e discutir opiniões e experiências é uma das melhores formas de aprender.

Ao longo desses anos, comecei a notar alguns padrões. Existem certos comportamentos que ajudam — ou atrapalham — o caminho da organização. Assim como sempre existe um atalho que faz chegar ao caminho mais rápido, existem também desvios falsos e buracos no meio da estrada que não ajudam em nada. Para prevenir frustrações e acidentes, compartilho hoje os três maiores erros de mentalidade na hora de embarcar em uma vida mais organizada.

Subestimar a importância da organização

Se você subestimasse completamente a importância da organização provavelmente não estaria lendo esse texto. Mas existem algumas pessoas que acham que organização é um passatempo frívolo, relativamente inútil e a associam com pouca energia para fazer as coisas. Esse pode ser o caso de alguém que você conhece ou de como você pensava antigamente. Às vezes até as pessoas que se interessam por organização podem ter uma crença guardada lá dentro da cabeça que o método X ou Y é inútil. Uma pessoa subestima a a importância da organização quando decide não aprender mais sobre o assunto, seja porque acha que já sabe tudo, seja porque se acha incapaz de aprender.

O ato de não convidar novos conhecimentos para a sua vida pode tomar várias formas. Algumas são sutis, outras gritantes. Qualquer que seja o seu caso, saiba apenas que você não é o rei do Universo. Novos conhecimentos sempre podem agregar alguma coisa à sua vida. Se trabalhar com afinco nos próprios projetos é algo que você já domina, ótimo! Pode ser que o planejamento de projetos seja o seu ponto forte.

E quando o assunto é prevenir sofrimentos e urgências futuras: você também é bom nisso? Arrumar tudo no seu devido lugar talvez seja fácil pra você, mas e quanto ao planejamento à longo prazo? Você sabe para onde a sua vida está indo? Lidar com urgências e saber se controlar em períodos de crise pode ser fácil, você nem se despenteia. Mas e quanto às suas áreas de foco? Elas estão equilibradas ou você só sabe trabalhar o dia inteiro e esquece dos seus outros papéis?

Seja qual for o caso, ser organizado trás benefícios práticos. Ser mais prevenido, estar com mais controle sobre a própria vida, ter a mente tranquila, estar consciente e em paz com as próprias decisões, não precisar perder tempo procurando um documento importante, encontrar tempo para fazer tudo o que você gosta: a lista é infinita. Valorize o seu bem estar e você não vai se arrepender.

Superestimar a importância da organização

Existe maluco pra tudo, então vamos dedicar um momento para falar sobre as pessoas que colocam toda a sua atenção no ato de se organizar e esquecem do resto. Por um lado, conforme já disse, é importante se organizar. Apenas tome cuidado para não se esconder no confortável sofá da organização e esquecer totalmente de agir. Se você tem medo de se expor, medo de fracassar, se acha um imprestável inútil ou tem qualquer outra crença limitante, pode ser que você use a organização como uma desculpa. Ela pode se tornar um jeito de evitar alguma coisa e, quando isso acontece, ela ocupa um lugar que não lhe é de direito.

{…}

Para continuar lendo, clique aqui.


Ainda não me conhece e caiu aqui de paraquedas?

Clique aqui para saber mais sobre mim
& clique aqui para saber mais o que diabos é Eu Organizado.

Se curtiu o texto, comente aí embaixo e vamos trocar figurinhas :)