Photo by John Schnobrich on Unsplash

O Intraempreendedorismo e a diferença que ele pode fazer.

O que é o empreendedorismo dentro do contexto organizacional e como ele pode transformar sua carreira e as organizações.

Há dois anos atrás fui convidado pela Eureca a escrever sobre empreendedorismo.

Na época, nós queríamos desmistificar a história do que era empreender — o que acabaremos também fazendo por aqui nesse texto — e foi ótimo, pois o texto havia sido empreendido: eu precisava escrever e o prazo já estava próximo. Então, nas águas congelantes de uma torneira diante de uma pia de louça para ser lavada no inverno, comecei a estruturar o texto na minha cabeça, inclusive usando a história da louça no próprio texto.

Empreendi o texto dentro de um contexto bem desfavorável. Achei que nem dedos teria para digitar diante o congelamento, mas acabou tudo bem.

Afinal o que significa empreender e intraempreender?

Por definição o verbo empreender significa:

1. transitivo direto: decidir realizar (tarefa difícil e trabalhosa); tentar. “e. uma travessia arriscada”;
2.transitivo direto: pôr em execução; realizar. “e. pesquisas”.

Por definição etimológica: ⊙ ETIM lat. *imprehendo ou impraehendo,is,di,sum,ĕre ‘tentar executar uma tarefa’.

Gosto de definições de palavras, pois trazem de forma pura o que significa aquele verbo. O ato de empreender, no seu puro instinto, é isso: realizar, tentar, pôr em prática, resolver um problema, buscar uma solução (como escrever um texto importante, com prazo apertado e uma pia de louça pra lavar na água gelada).

Se colocarmos essa atitude — que de simples não tem nada — num contexto organizacional, encontramos o famoso Intraempreendedorismo: buscar soluções inovadoras dentro do contexto organizacional, empreendendo internamente com resultados que podem refletir dentro ou até extrapolar os muros da organização.

E as organizações buscam Intraempreendedores?

E como buscam!

Qual é a organização que hoje não está em busca constante por aprimoramento, por inovação, por novas e efetivas formas de desenvolver seus propósitos e seus negócios?

Eu arrisco afirmar que intraempreendedorismo é vital pra as organizações.

E, se você tem um papel de liderança em uma organização e ainda não parou para pensar em intraempreendedorismo, te convido a começar já!

Este, aliás, tem sido um dos temas de destaque dentro dos programas de desenvolvimento que desenvolvemos na Eureca com nossos clientes e parceiros.

O reflexo do empreendedorismo dentro das organizações traz desde a inovação, a ampliação da competitividade, retenção, desenvolvimento e reconhecimento de talentos internos até a otimização de custos.

Porém, existe uma necessidade importante para que o intraempreendedorismo dê esses frutos e não aconteça o inverso, uma implosão: o condicionamento da organização a ser um ambiente fértil:

  • O perfil dos colaboradores deve contar com gente que gosta de resolver problemas, que tem esse perfil e atitudes. Não é contar "só" com esse perfil, mas ele deve estar lá e se sentir "em casa".
  • Uma cultura organizacional clara e forte, que incentive e aceite erros, que viva para achar soluções.
  • E um perfil da liderança que inspire e seja parceiro de jornada de verdade.

Peter Senge tem uma grande definição sobre organizações que aprendem de forma contínua e se desenvolvem de forma contínua:

“As organizações que aprendem são aquelas nas quais as pessoas aprimoram continuamente suas capacidades para criar o futuro que realmente gostariam de ver surgir”.

Se sua organização se esconde atrás de pilhas de processos e burocracias sem fim, a luta pela inovação — e pelos inovadores intraempreendedores — pode ser bem mais dura.

Quais as características dos intraempreendedores?

O perfil intraempreendedor é, como descrito inicialmente, aquele que busca incessantemente o aprimoramento e as soluções para os problemas que vê no mundo.

Eles buscam com vontade a inovação, querem de fato resolver problemas, buscam fazer parte de algo maior, com propósito — essa descrição é a cara de quem? A cara dos Millennials, também conhecido como nós.

Claro, esse perfil busca também o reconhecimento pelas contribuições e deseja crescimento contínuo em sua carreira, por isso a busca incessante.

Achou lindo tudo isso e quer começar a intraempreender amanhã?

Tenho alguns lembretes e sugestões aqui pra você:

Sabe o tal do "sentimento de dono"? Sabe o que isso significa? Que se abrace a sua responsabilidade, seu papel, como seu, e empreenda as transformações que esse papel pode empreender. Inove no que se faz, seja você dono da organização toda ou dono das suas responsabilidades dentro dela.

Lembre-se que liberdade e autonomia são diferentes de "festa do caqui", de libertinagem. Toda liberdade tem um contexto e toda inovação deve ter seu propósito no mundo real, trazer resultados efetivos. Não adianta querer uma start-up porque é "um ambiente autônomo" se não levar resultado pra esse ambiente.

Ninguém empreende sozinho. Apesar da moda ser "o empreendedor", na realidade, ninguém empreende nenhuma solução sozinho nesse mundo, muito menos intraempreende. Ter um senso de time, saber ser líder e também entender como ser liderado é fundamental para intraempreender.

Idéias compartilhadas são idéias aprimoradas. Buscar opiniões, visões, revisões, processos e ferramentas para desenvolver as idéias empreendedoras pode te levar a um impacto ainda maior no longo prazo.

Inspiração é fundamental para inovar. Busque referências, converse com referências, se atualize, estude. O verdadeiro perfil intraempreendedor não para nunca de buscar o aprimoramento.

Antes da conclusão, te convido a dar uma pausa no texto e assistir esse TEDx falando sobre o poder do Intraempreendedorismo na inovação para grandes organizações. Inspirador!

Via TED no YouTube

E agora sim, pra fechar, eu resgato a frase que fechei aquele texto, pós água gelada:

Somos uma geração que busca soluções e que vive ativa, à caça de desafios novos. Não falando apenas do termo mercadológico daquele que cria um negócio, mas também dessa interpretação vocabular do empreender, de pôr a mão-na-massa e fazer acontecer seja como trainee, estagiária, estudante, membro da comunidade, marido lavador de louça do jantar, membrx das organizações.

Empreender é agir. Agir de forma estruturada e inteligente, resolvendo problemas, sendo prático, com energia, dentro ou fora de uma organização. Ou seja, é a nossa cara!