A Terra de ISRAEL — O milagre no deserto

Explorando o básico da Terra de Israel, ou como é chamada: ארץ ישראל‎ (Eretz Yisrael).

Jogando por terra os medos:

Israel é perigoso:
você que vive no Brasil e possui essa opinião sem nunca ter visitado Israel pode parar agora mesmo. Vá e compare os números de violência, ou dê como garantia a minha palavra: É seguro.

Israel não é para qualquer um: 
é sim. Israel é diverso até dizer chega.

Parada Gay Tel’Aviv

Ok, como uma pessoa que não se identifica com nenhuma religião desenvolve interesse por Israel?

Simples, tenha amigos que são judeus e que optaram por fazer o Aliyah. O ato de retornar à Terra Prometida é um “direito garantido” para todos os judeus — inclusive para Cubanos, onde o passaporte é quase impossível de se conseguir.

Foi em um apartamento em Estocolmo, durante o outono, que meu amigo fez um convite: Fique em minha casa, passe o ano novo judeu conosco, conheça Eretz Israel. 
Eu aceitei.

Em outra oportunidade: “É o Bar’mitzvah do meu filho, você está convidado”.
Eu aceitei.

“Preciso que você leve meu filho menor de idade de volta a Israel, pago passagem”. 
Eu aceitei.

“Vamos para Petra, é aqui do lado”-@munike (enquanto em Israel).
Eu aceitei. E voltei por Israel pela fronteira em Eilat. Totalizando quatro entradas.

Esse é um resumo do porque que eu conheço um pouco desse país fantástico.

Entrando em um país que “não existe” para mais de 32 aliados da ONU. Inclusive vizinhos.

Israel é seguro porque é um dever de todos que lá habitam continuar o trabalho impossível de fundar um país para um povo que é perseguido desde o primeiro livro de história. E tudo começa no aeroporto…

O aeroporto internacional de Tel’Aviv é lindo, grande, com muitas lojas e organizado, mas se você é um homem adulto, com uma bela barba, as chances de ir para a salinha e ter uma conversa com os agentes de segurança é grande. Nada tema, não crie a imagem de um aeroporto internacional norte-americano, com pessoas intimidadoras gritando no seu ouvido, achando que você é um terrorista que quer invadir o país e explodir tudo. 
Basta esperar (2 ou 3h), responder perguntas simples como: seu email(informe aquele que usa em perfis públicos, para que eles te achem), nome do seu avô, o que trabalha, etc.
Ao sair você também será sabatinado e POR FAVOR não aceite nada de ninguém, nem ajuda para fazer as malas nem nada. Seja 100% responsável pelas suas coisas — o país vive em estado de alerta e ameaça.

Não existe carimbo no passaporte, é um papel azul pequeno que te entregam. Faça o possível para não perdê-lo. Isso é devido ao países que não reconhecem Israel e se observarem alguma prova que você esteve lá, pode causar problemas.

Vamos ao que interessa: Lugares interessantes de Eretz Israel

TEL’AVIV

Aeroporto Ben-Gurion
Bonito, grande, organizado, excelentes banheiros. Ao sair do aeroporto já existe um acesso subterrâneo para pegar um trem ir direto para a cidade ou cidades vizinhas. 
O serviço de táxi não é nada exorbitante, mas depende do seu bolso. 
ATENÇÃO: Não existe serviço público durante o Shabbat, ao cair da noite de sexta-feira, até a noite de sábado, somente os russos trabalham. Então, se deseja evitar um taxista russo falando um inglês maluco, não se desloque durante shabbat.

Inglês: Todo mundo fala. Eu sei que é uma generalização pesada, mas nunca tive problemas.

Hayakon Park
Um parque verde gigantesco no meio da cidade. 
Deixe o carro ou pegue um ônibus até o começo do parque mais no meio da cidade e ande até o mar mediterrâneo. O que tem lá para ver? Pessoas praticando esportes, fotografando casais, famílias, pequenos animais, atividades no rio. Mais para o final começam os parques infantis, alguns escritórios e toda uma área beira-mar para se divertir.

Beira-mar até a velha Jaffa
Lembra que falei que Israel é para todo mundo? As praias dizem isso. 
Existe a praia dos religiosos, com dias para homens e mulheres. 
Existe praia com gays, com pessoas fumando maconha, com família, com judeus, com árabes, com gente de roupa social. 
Existe praia para cachorro. 
Existe praia para prática de esportes. 
Você pode alugar stand-ups, barcos e outros equipamentos. 
Bares na areia.

Uma ilustração do Arkady Abvosky

Old-Jaffa
O porto mais antigo da humanidade que ainda se encontra com atividade. Histórias de Salomão, São Pedro e até Bonaparte ajudam a compreender a significância e a história do lugar. Também é um lugar de renovação, de cultura. Andar pelas ruas estreitas de Jaffa é observar galerias de arte, joalherias, restaurantes, e porque não, escavações egípcias de milhares de anos.

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Old_Jaffa_panorama.jpg

Dizengof
Com uma fonte colorida, que tem os jatos d’água sincronizados com as caixas de som que tocam música clássica em uma avenida cheia de carros e pessoas, lotadas de lojas, restaurantes, cafés. Toda área em torno da avenida Dizengof tem seus encantos.

Trânsito
:) 
A ínfima parte de mim que é organizada sofreu muito. O estacionamento é sempre caótico e parece que eles não se importam com amassados pequenos/médios. O que dá a impressão que é uma versão de Mad Max. 
Pelo menos dentro de Tel’Aviv. 
As estradas são perfeitas. Então, recomendo carro para poder ir de norte a sul no país, não recomendo carro dentro das áreas da capital. Você pode fazer tudo de trem/ônibus/avião.

Sarona, mercado e parque
Com muitos mercados de comida que se assemelham em todo território, o mercado de Sarona é a versão mais hipster/gentrificada que você pode visitar. E é lindo. Os aromas, as comidas, os doces. Tudo encanta. 
A área entorno, com arranha céus, parques, possuem algumas casas no centro que na verdade são lojas ou restaurantes. Um excelente passeio.

https://www.go-telaviv.com/images/sarona-tel-aviv-at-night2.jpg

Bunker obrigatório nos apartamentos
https://www.timesofisrael.com/the-safest-room-in-the-house/
Na residência onde passei praticamente todos os dias que estive em Israel, tinha um bunker. A porta era de aço, a janela tinha vedação de ar e uma cortina de chumbo, no canto do quarto existe um purificador de ar para gases tóxicos. 
Seja pelos mísseis ocasionais oriundos da faixa de gaza, ameaça nuclear constante do Irã, todo um ódio religioso contra um povo talvez justifique a existência desses quartos bunkers nas casas.

Exército nas ruas
Todas as pessoas são obrigadas a servir ao exército. Três anos para homens, um para mulheres. Isso faz com que seja normal você ver um deles por aí, com um rifle a tira pendurado no peito. Todos que vi mantinham a arma sem munição mas com o pente de munição ao alcance das mãos, um indicativo que não estão em atividade mas prontos para a ação.

Comida
Quero! Digo…tenho saudades! 
O melhor hummus de todo o planeta, legumes frescos em abundância, pães maravilhos. Pode não ser a primeira coisa que lhe vem a mente, mas Israel deve ser considerado um destino gastronômico também.


Faço uma pausa para o texto não ficar enorme e cansativo. 
Próximos capítulos: Os preconceitos não justificados sobre a Ethiopian Airlines, ao norte: Haiffa, ao centro Jerusalem e o deserto de Mitz Be’hamon, ao sul o paraíso de Eilat. 
Gostou? Clique nas palmas para que eu fique sabendo e para continuar recebendo mais textos como esse, siga Os Exploradores.