Desvirtual

É tudo natural. Tudo tão normal.

Agora o virtual está tão próximo do real.

E o real foi desvirtuado. Desconectado.

Agora é assim: “Se ele me ‘laika’, pra ele eu ‘laiko’ também.” Hoje o “like” tá virando “Amém!”

Mas o que importa mesmo é a quantidade de joinha e visualização, ainda que o conteúdo seja só lamentação.

Se são um milhão de seguidores: “Meus Amores!”. Mas se são perseguidores: “Haters! Seus horrores!”

Com tudo isso que se tem hoje, ninguém mais pergunta: “Quem quer ‘tc’ ou como vai você”.

Agora o que interessa é “nudes”: “Por acaso alguém se habilita? Gertrudes?”

É “zapeando” que se espera a tão aguardada resposta. “Mas ainda não tá azul! Que b…”

Mas é tudo tão natural. Tudo tão normal.

“Eba! Vivemos na era desvirtual.”

:)

Like what you read? Give Fábio Panzoldo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.