O que eu penso sobre iniciativas colaborativas — ou o que podem realmente ser

Após ter feito parte de algumas iniciativas colaborativas, e ainda continuar experimentando, vejo que ainda não chegamos num ponto que garanta que elas sejam sustentáveis.

Como mais ou menos diz a Lala Deheinzelin, “temos a data de nascimento da Criativa, da Compartilhada, mas a Economia Colaborativa ainda não chegou”.

Tô começando a acreditar, não sei se é adequado falar que está acontecendo Economia Colaborativa, pode ser que venha a ter outro nome daqui um tempo.

Não pretendo com esse texto lançar verdades absolutas e falar que todo mundo deveria enxergar dessa forma. É o que é verdade para mim no momento. Amanhã posso pensar de outra forma.

Falo apenas com base nas minha vivência, isso não significa que outras iniciativas das quais não fiz parte não sejam sustentáveis.

Do que tenho vivido e observado saiu o seguinte:

  • Quem não garante recursos necessários para sobreviver não se compromete por muito tempo em executar atividades.
  • As pessoas que não se engajam e apenas observam, podem fazer isso por não entenderem como funciona.
  • Precisa (precisa?) ter pessoas fixas apontando alguns caminhos e que recebam $ por isso.
  • Existem os parasitas: só querem sugar, mas não dão nada em troca.
  • A maioria da nós não está acostumada a transitar entre organizações, não tendo obrigatoriedade de pertencer e tendo responsabilidade — pela organização e pelo que faz — em todas.
  • Pertencimento significa se sentir acolhido.
  • Os iniciadores são experientes e influentes. Se eles saem, a coisa desanda.
  • Estão criando e aprimorando modelos, não importa que nome isso tenha ou venha ter. Espero que logo possamos ter modelos (modelos?) maduros e sustentáveis.
  • Talvez a colaboração não possa ser chamada de um modelo, por isso ela é do jeito que é — gratidão pela reflexão Patrícia Stanquevisch — e estamos chegando em outra coisa. Tipo Economia Compartilhada x Economia Sob Demanda.
Bom, estamos todos aprendendo, né? Sigamos investigando.