Como funciona a metodologia de ensino da Clara

A evolução digital modificou vários mercados nos últimos anos. Temos bons exemplos como os de transporte (Uber), de hospedagem (Airbnb), de propaganda (Google Adwords) ou de comunicação empresarial (Slack), só para citar alguns.

Nessa mesma leva de mercados com inovações, percebemos que apesar da educação ter aproveitado a tecnologia (com o uso de ambientes virtuais de aprendizagem, plataformas adaptativas e MOOCs), ainda mantém as mesmas bases de ensino, mesmo no ambiente online.

Até hoje, esses modelos de educação online têm se limitado a trazer o antigo padrão de sala de aula para o ambiente digital, usando principalmente o recurso de vídeos para isso, o que acaba por ignorar uma série de novidades que as modernas tecnologias possibilitam.

Aulas presenciais são gravadas em vídeos de diferentes durações, avaliações que cobram apenas a capacidade de memorizar continuam sendo exigidas e os professores permanecem sendo soberanos, enquanto os alunos muitas vezes se limitam a receber conteúdo passivamente.

Como queremos mudar esse cenário

Com a Clara nós queríamos criar uma nova forma de educação empreendedora, aproveitando 100% das possibilidades que o ambiente online oferece, mas sem repetir o excesso de teorias e pouca aplicabilidade que tanto nos incomodava no ensino de gestão que conhecemos.

Sabemos que o empreendedor não aprende como um universitário e, por isso, começamos com pequenas mudanças conceituais que mostram para onde queremos ir.

Não chamamos a Clara de professora, mas de mentora. Pelo mesmo motivo, não chamamos nosso conteúdo de cursos, mas de jornadas. Parece besteira, mas essas pequenas mudanças de nomenclaturas fazem grande diferença em relação ao que acreditamos e queremos mudar.

Veja as principais diferenças entre o professor tradicional e o papel da Clara como uma mentora:

Um professor transmite um conteúdo padronizado, enquanto a Clara facilita uma experiência personalizada.

Como entregamos essa experiência

Agora, só se posicionar de uma maneira inovadora e modificar nomenclaturas não muda o mundo. Por isso, vale a pena eu entrar um pouco mais em como a metodologia da Clara é colocada em prática.

Uma parte da experiência com a Clara se dá pela vivência de jornadas empreendedoras. Elas são histórias onde o nosso usuário assume o papel de um personagem que passa por desafios de gestão. Nesse processo, ele aprende por meio de uma simulação prática diversos conceitos que serão úteis no seu dia a dia empresarial.

Esse modelo narrativo que utilizamos tem muitas semelhanças com a jornada do herói. Essa não é uma coincidência. Acreditamos que o empreendedor é o herói da sua própria jornada. Ele busca preencher a lacuna entre aquilo que ele é (seu estado atual) e aquilo que precisa ser (o estado desejado) para superar desafios empresariais diariamente.

Nesse percurso para sair do estado atual ele precisa superar alguns “gaps” (lacunas) de aprendizagem.

Não basta saber, é preciso saber fazer
Não basta saber fazer, é preciso saber como fazer
Não basta saber como fazer, é preciso querer fazer

Os passos para um aprendizado completo

Todas as jornadas empreendedoras são desenvolvidas seguindo os cinco passos do Ciclo de Aprendizagem:

Ao percorrer essas cinco etapas, permitimos um aprendizado prático:

  1. Simulação — O primeiro passo é fazer o empreendedor vivenciar uma situção real empreendedora, baseada na vivência de centenas de empreendedores.
  2. Desafio — Em seguida, a Clara apresenta um desafio, que são problemas que esses empreendedores já viveram na pele em algum momento de suas experiências empresariais.
  3. Conteúdo — Logo depois são apresentados conceitos e conteúdos que vão ajudar o empreendedor a superar o desafio proposto.
  4. Prática — Nesse passo o empreendedor passa pela parte mais prática, na qual ele responde a perguntas que vão gerar significado para seu aprendizado.
  5. Aprendizado — No final de um ciclo, a Clara chega a uma conclusão em relação ao que foi vivenciado, praticado e aprendido.

Depois "giramos" esse ciclo algumas vezes com novas situações e problemas que precisam ser superados até se chegar no final de uma jornada empreendedora.

Se quiser conhecer a fundo a nossa metodologia, você pode baixá-la nesse link em PDF.

A construção do conhecimento em comunidade

A outra parte da experiência com a Clara se dá por sua comunidade, um fórum aberto para que qualquer empreendedor tire suas dúvidas e ajudar outras pessoas com desafios.

Aprendemos mais e melhor quando existe interação e diálogo. O auxílio de outras pessoas mais experientes permite aprendizados que jamais seriam conquistados individualmente. Inclusive, um dos papéis de um mentor é fazer a conexão entre empreendedores e pessoas que podem se ajudar nessa jornada.

Um exemplo dessa troca foi a ajuda que o Felipe Lontra, um dos sócios da Naiah, empresa do mercado da moda deu para o Leandro, que está começando agora e estava com algumas dúvidas sobre qual caminho seguir.

De onde surgiu essa metodologia…

Esse modelo não saiu simplesmente das nossas cabeças. Com a ajuda da Imagica, uma empresa especializada em pedagogia e narrativa, fomos juntando as principais metodologias pedagógicas que admiramos, como:

Com essas referências criamos, na Clara, o embasamento pedagógico e direcionamento na Clara que tanto sentíamos falta no ensino de gestão que a gente teve ao longo de nossas vidas acadêmicas.

Além disso, nossa metodologia está em constante evolução por meio da análise de indicadores e um trabalho intenso de criação e acompanhamento do conteúdo que criamos.

Acreditamos que a experiência com a Clara pode ser resumida em um provérbio chinês milenar, que nos ensina:

O empreendedor é o protagonista da sua própria jornada na Clara. Dessa forma eles estará mais preparado para superar seus desafios empresariais.

Aprenda conversando com a Clara!