Empreendedor, eu sei que você se sente sozinho

Eu também me sinto… Afinal, nós empreendedores começamos a acreditar — e, ainda mais importante, a confiar — em nós mesmos quando estamos sozinhos. A jornada empreendedora começa de um produto ou idéia da sua cabeça. Uma empresa nasce exclusivamente sua. Ela é uma parte de você.

Mas um empreendedor não vive apenas de uma idéia inicial maluca e da empolgação do começo. Além de lidar com momentos difíceis, novas idéias surgirão constantemente e a maior parte delas não terá suporte ou compreensão inicial. Será necessário seguir em frente com sua visão e instinto para colocar em prática o que você acredita que é certo para enfrentar os altos e baixos dessa jornada.

Acreditar naquilo que ninguém mais acredita é por si só uma forma de isolamento necessário na jornada empreendedora.

Ao longo dela, há um bom número de sucessos para compartilhar com sua equipe, com seus sócios e seus clientes. Mas há uma tonelada de falhas e contratempos que são pouco compartilhados. É uma verdadeira montanha-russa emocional.

Ao longo da minha jornada empreendedora, eu já criei e fali algumas empresas. Mas em todas essas falhas, sempre saí com a sensação de que aprendi muito mais do que perdi, seja de dinheiro ou de tempo, mesmo que nem sempre tenha tido a coragem de compartilhar esses momentos de aprendizagem.

E não é necessário criar múltiplas empresas para viver isso. Uma única empresa pode ter altos e baixos, momentos de muito lucro e quase falência, uma espécie de ciclos e recomeços do mesmo CNPJ.

O meu CNPJ mais antigo e duradouro até hoje foi a LUZ, empresa que começou como uma consultoria, se transformou numa loja de consultoria e em mais cinco unidades de negócios diferente e, por último, fez bastante sucesso e ganhou escala como um e-commerce de planilhas prontas em excel. Pequenos e simples arquivos que foram capazes de impactar mais de 40 mil empreendedores em todo o Brasil e outros países como Angola, Portugal, Cabo Verde e etc.

Eu criei a LUZ sozinho, mas em pouco mais de um ano busquei sócios para me ajudar a crescer a empresa. Esse conjunto de sócios mudou bastante ao longo dos anos, uns continuaram, outros se foram, novos vieram.

Mas mesmo com sócios, uma super esposa e pais fantásticos ao meu lado, inúmeras vezes eu me senti sozinho. Parte desse isolamento era proposital, seja para pensar melhor, me proteger de conselhos protetores ou proteger os outros da transmissão do estresse durante as fases ruins. Mas uma parte dele foi excessivo e poderia ter sido evitado.

Veja bem, existe um certo prazer nesse isolamento e uma notável importância dele na vida de um empreendedor. Ficar sozinho também é bom, mesmo que seja apenas nos seus pensamentos, gerando idéias malucas para criar algo novo ou lidar com problemas. Faz parte da forma como nós humanos raciocinamos e buscamos soluções.

Tanto que o isolamento é uma característica muito comum entre pessoas muito inteligentes. Albert Einstein uma vez escreveu sobre o isolamento dizendo que “quanto mais talentosa for uma criança, mais sozinha tende a ser.”

Apesar de um certo grau de isolamento ser compreensível por todos os motivos que citei e até certo ponto ser saudável, o excesso dele pode se voltar para um isolamento mais corrosivo.

Um estudo de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, publicado em janeiro de 2016, mostra que a solidão causada pelo isolamento pode “elevar grandemente” o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral e câncer de uma pessoa, tornando-a tão perigosa para a saúde como a falta de atividade física na juventude ou a diabetes na velhice.

A pesquisa avaliou a solidão em vários estágios da vida, mas o quadro geral é claro: o isolamento excessivo pode ser prejudicial e lhe afetar mais negativamente do que positivamente.

Todos nós sabemos que o estresse anda de mãos dadas com a vida, por causa da constante necessidade de enfrentar novos desafios para os quais, na maioria das vezes, não estamos preparados. E, por isso, estamos frequentemente gerenciando o stress com atividades físicas, descanso, yoga, pilates, terapias, etc. Cada um de nós tem seus próprios mecanismos para não enlouquecer.

Mas, assim como busquei sócios lá atrás, também corri atrás de outras formas de reduzir o lado prejudicial do isolamento excessivo e tenho algumas sugestões para dar. Sei que conselhos são baratos, e geralmente ignorados, especialmente por empreendedores, mas vou tentar de qualquer maneira.

Ao meu ver, existem algumas formas de evitar o isolamento, ou pelo menos tirar um pouco do seu poder de fazer mal a sua saúde. Vou separar minhas sugestões em dois grupos: estratégias de conexão que você pode adotar e tipos de amizades que você pode criar a partir desses esforços de conexão.

AS ESTRATÉGIAS

1. Colabore

Enquanto seu instinto pode lhe dizer para seguir sozinho, você correrá o risco de se impor a um crescente isolamento social - o que quase sempre leva ao seu primo próximo, a depressão. Ao invés de fazer isso considere fazer um esforço para encontrar um sócio ou co-fundador. Por um lado, você terá alguém para conversar que está envolvido na mesma busca por sucesso e, em segundo lugar, lhe dará a oportunidade de ter alguém com habilidades complementares. É verdade, ter um parceiro às vezes é uma merda, e você pode achar que ele precisa ser demitido, mas também pode ser um relacionamento maravilhoso e produtivo.

2. Conecte-se

Encontrar uma maneira de conhecer algumas pessoas com o mesmo objetivo, seja através de um grupo, um evento, um movimento social ou mesmo em um café. Lembre-se que os seres humanos são criaturas sociais (há muito poucos reclusos verdadeiros) de modo que independente de suas necessidades sociais serem baixas, médias ou altas, é perfeitamente natural querer uma conexão com os outros e querer pertencer a uma comunidade. Aceite a natureza humana e encontre algumas pessoas novas para conhecer.

3. Trabalhe de um Coworking

Se você decide por se manter como o único líder da sua empresa, mesmo que apenas no início, trabalhar ao lado de pessoas como você pode ser de grande ajuda. Em vez de operar o seu negócio a partir do sofá da sua casa, considere alugar uma cadeira em um espaço coworking. Lá, você pode trabalhar sozinho em meio a um bando de outros empreendedores fazendo a mesma coisa. É uma ótima maneira de conhecer pessoas que possam ajudá-lo a resolver problemas, ou fazer parcerias com fundadores com idéias semelhantes para encontrar oportunidades de negócios. Além disso, força você a colocar roupas limpas na maioria dos dias e tirar aquele pijama, o que também fará de você um parceiro de negócios muito interessante. Encontre um próximo de você no site Coworking Brasil.

4. Chore

Eu choro. Todos choramos, embora no início dê vergonha e você prefira fazer escondido, é normal. Passamos por uma série de situações que geram as mais diferentes emoções (negativas e positivas), mas emoções só se tornam problemas se deixarmos que elas nos dominem. Solidão é um sentimento, nada mais. Afinal, você pode estar sozinho em uma multidão de amigos. Mas como em todos os sentimentos, é preciso senti-los e, em seguida, trabalha-los. Portanto, chore, mesmo que escondido no banheiro, sinta e em seguida, limpe o nariz e avance.

5. Obtenha ajuda

Depressão é o câncer do empreendedorismo, e mais e mais líderes empresariais estão se sentindo à vontade para falar sobre isso com seus amigos ou até mesmo em seus blogs. Apesar de cada um ter a sua forma de lidar com problemas mentais, compartilhar é uma das melhores formas de deixar o seu orgulho de lado, se comprometer com a busca de uma solução e até se abrir para receber a ajuda dos outros. Mas tenha em mente que se a solidão estiver te conduzindo para uma verdadeira condição de saúde mental, encontre um terapeuta. A maior perda que vem da solidão ou depressão é a falta de perspectiva. Somente alguém que não é você pode vê-lo sem a nossa visão viciada.

OS AMIGOS

a. Outros Empreendedores

Eles são empreendedores que, como você, estão mais ou menos no mesmo momento. Para eles, você pode pedir e dizer qualquer coisa. Não há falsa pretensão. Não há barreiras para admitir seus medos e compartilhar seus erros. Talvez alguns deles você só conseguirá ver de vez em quando, mas outros serão mais presentes e podem ter papel muito significativo na sua vida.

b. As Comunidades

Ok, este não é bem um tipo de amigo, mas grupos e comunidades podem ser uma ótima maneira de obter novos amigos e compartilhar experiências. Além de te colocar em contato direto com um grande número de pessoas, elas também servem como uma fonte de informações sobre tendências da indústria, oportunidades de negócios e referências. Hoje, existe um crescente número de comunidades no Slack, um famoso app de mensagens para empresas.

c. Os parceiros

Parceiros são outras organizações que possuem o mesmo público-alvo que você. Se aproximar de quem trabalha com o mesmo segmento de clientes oferece ampla oportunidade para colaboração e trazer grandes insights para novas estratégias e táticas.

d. Os mentores

Além de empreendedores que estão juntos com você em fase semelhante nessa jornada, você também precisa de apoio e ajuda daqueles que estão à frente. Bons mentores e conselheiros são fundamentais para o sucesso da sua empresa. Algumas empresas optam por formalizar seus relacionamentos por meio de conselhos, enquanto outros escolhem chamar as pessoas em sua rede de forma mais informal conforme a necessidade surgir.

e. Os amigos virtuais

Plataformas de mídia social se tornaram uma fonte muito valiosa para participar de comunidades e se conectar com mais facilidade a outros empreendedores. Sei que muitos empresários mantêm contas no Facebook e no Linkedin, mas as usam mais como fonte de notícias do que de conexão com outros. Na minha experiência, essas ferramentas têm sido muito mais valiosas para servir como conectores, que é o que eles foram originalmente destinados a fazer.

Se você decidir por aumentar sua rede de contatos, a coisa mais importante que aprendi é saber usá-la a seu favor e se manter humilde para estar sempre aberto às dicas e conselhos que virão! Muitos empresários que investem o tempo para estabelecer uma grande rede não conseguem aproveitar todo o seu potencial. Mesmo os bem-conectados tendem a continuar se isolando quando enfrentam dificuldades, deixando de pedir conselhos quando mais precisam.

Mas as redes são como os músculos, quanto mais você usá-las, mais fortes ficam. Então, da próxima vez que você estiver enfrentando uma pergunta ou um desafio, pergunte a si mesmo: “Quem pode me ajudar?”.

Olá, eu sou a Clara!

Foi em cima desse questionamento e da constatação de que inúmeros empreendedores passavam por esse mesmo tipo de situação que surgiu a idéia de criar a Clara — uma mentora virtual que possui a missão de dar acesso a algo de tão difícil acesso para a maioria dos empreendedores: a troca de experiências.

Com a Clara, qualquer empreendedor pode dizer qual o desafio esta enfrentando e receber uma sugestão de simulação prática ou de discussão em andamento com outros empreendedores sobre como lidar com aquele desafio.

A Clara é um robô (chatbot) dotado de algumas inteligências e está aprendendo constantemente com novas interações com empreendedores. Ela foi programada para oferecer uma luz nas horas difíceis e atuar como uma conselheira nas decisões que exigem distanciamento intelectual impossível para a complexidade dos sentimentos humanos.

Mas o melhor da Clara é que ela não é quem sabe de tudo. Sua inteligência é baseada na troca que acontece em sua comunidade de empreendedores. Quanto mais experiências são trocadas nesta comunidade, mais inteligente a Clara fica.

Seja através de uma plataforma de mentoria virtual, como a Clara, ou através das outras dicas que lhe dei acima, acho que qualquer empreendedor tem uma boa quantidade de alternativas para combater o isolamento excessivo e prejudicial.

Empreender é uma grande paixão, o meu grande objetivo nesta vida — ao lado da construção da minha família — e a forma de me manter continuamente evoluindo e aprendendo.

Então reforço aqui o meu recado: ficar sozinho faz parte da gente e pode ser super positivo. Mas não deixe que o isolamento excessivo ponha em risco o seu papel tão importante enquanto empreendedor. Afinal, o empreendedorismo move a sociedade para frente.

Portanto, construa sua jornada da melhor maneira possível. Busque se conectar aos outros milhares de empreendedores que assim como você estão mudando o mundo. ;)