O conto do relacionamento amoroso ruim.

Enquanto uma galera sacaneava o sotaque fortíssimo de Rihanna na música Work, eu prestava atenção na letra. Ainda presto, na verdade. A interpretação que dou a esta música é o fato da protagonista estar num relacionamento com expectativas, quando o outro lado não quer (não falo pode, poder todo mundo pode). O tempo todo o parceiro pede para a moça mudar, ser outra pessoa, fazer o certo e por isso ela espera que o rapaz dê o que ela precisa, no caso, um amor que ela nunca teve. Claro que o serzinho não dá, mas ela se mantém neste relacionamento porque o ama ou o pouco que ele dá a faz bem (mesmo que seja por 5 minutos). E no final ela é bem clara de que não quer que ele o abandone, como se ele um dia esteve fisicamente com ela além do sexo que eles têm às vezes.

You mistaken my love I brought for you for foundation
All I want is for you to give me something that I’ve never had
Something that you’ve never seen
Something that you’ve never been
But I wake up and act nothing’s wrong

Há músicas que só entendemos quando passamos por esta situação em nossas vidas e quando amadurecemos. Lembro-me da vez que entendi a letra de Glory Box, do Portishead. Antes me parecia algo que não tinha muita lógica, quer dizer, por que ela grita chorosamente que quer ser uma mulher quando ela já é uma? Entendi depois de ter levado um fora de que é difícil para caceta ser uma. A gente tem que se justificar de todas as nossas ações e não ações, estamos sempre erradas mesmo grossas e delicadas, não somos feitas para sermos amadas mesmo que sejamos muito boas. A nossa autoestima está sempre por um fio. Lembro que li certa vez um desabafo da Bjork demonstrando ali a sua insegurança e cara, até a Bjork que é a rainha de gelo do nosso universo é insegura. Imagina a gente, que aceita trabalho de graça com a promessa de divulgação do nosso trabalho?

Conheci certa vez uma menina, que pode ser qualquer uma de nós, que namorava um cara totalmente nocivo a ela. Não importa na verdade como ela era ou seus problemas físicos e psicológicos, vamos focar apenas que ela era uma garota que tinha seus problemas visíveis e isso era algo que era sempre lembrado por seu namorado, que jogava na cara que ela não arrumaria ninguém porque só ele conseguiria amar alguém daquele jeito (PCD, negra, gorda, psicologicamente doente, psicologicamente estável, grossa, antipática, etc etc. Motivo sempre tem. Os homens sempre fazem caridade por nos aceitar do jeito que somos, repare). Ela o amava e era totalmente dependente emocionalmente dele. Aconselhava, como se fosse fácil deste, para ela largar ele. Eu e um monte de minas. Para mim parecia fácil, se tá ruim, tchau, vá embora. Mas para ela não era e não foi. Hoje ela tá feliz namorando outra pessoa que a respeita. Nem digo que ela precisava passar por isso para ter um final feliz porque não, ninguém precisa.

Olhando do lado de fora, é muito fácil sair de um relacionamento ruim. É muito fácil chegar para o cara que esta praticando abuso falar “pera lá amigo, aqui não é bagunça”. Falar é incrível, agir não. No meu último namoro, acabei parando na emergência do hospital porque eu estava mijando sangue. Meu ex, que estava comigo, ficou puto porque estava comigo no hospital, segundo ele eu não cuidava do meu corpo e ele em algum momento discutiu comigo no hospital por causa disso. A última coisa que precisava era ter uma briga de namoro no hospital com pedra nos rins, né? E ainda ficamos tempo a beça por alguém que não teve solidariedade comigo quando precisava.

Já parou para pensar em quantas vezes você teve que ceder, o outro não, porque você só queria ser feliz num relacionamento? Sempre digo que qualquer tipo de relacionamento dá um trabalho, é conhecer a pessoa, é entender o que fazer para a pessoa gozar, é descobrir o outro. Isso porque o outro não é seu marionete e nem sempre está na mesma sintonia contigo. Nós recebemos tão pouco, independente de qualquer coisa, e quando recebemos o mínimo ficamos felizes e satisfeitas. Mas pera, isso tá errado. Muito errado.

Mas mesmo errado, mana, eu entendo você por está junto com alguém bosta. De verdade. Nestes texto de autoestima vejo que a solução sempre é arrumar alguém melhor porque merecemos, quando não entende o lado de quem não consegue por estar sensível, por estar apaixonada ou por quer fazer dar certo. O fracasso de um relacionamento cai muito mais pesado nos ombros femininos do que nos masculinos. É como se estivéssemos falhando com toda uma vida. Então digo a mim, a você, a qualquer pessoa que está (ou esteve) num relacionamento ruim é que não será fácil e não necessariamente o próximo será bom. Repeti a mim mesma, no meu primeiro namoro, que eu só teria namoros felizes. Passou-se 5 depois dele e o meu relacionamento mais feliz foi uma ficada de 1 mês.

Somos fortes. A gente só não entende isso. Se entendesse a gente dominaria o mundo!


Quer receber mais textos como esse? Siga nossa publicação, fale sobre elas e compartilhe!
Nossa Página no Facebook: Fale com Elas
Nosso Instagram: @falecomelas
Nosso Twitter: falecomelass
Acompanha a Fale com Elas e quer escrever com a gente? Manda um email pra falecomelasesobreelas@gmail.com.
Aceitamos contos, crônicas, entrevistas, resenhas literárias, cinematográficas, textos de opinião. Conteúdo feito por mulheres para quem quiser escutá-las!