Talvez eu esteja apaixonada pelo Marcos

E eu acho que vou me fuder

São Paulo, quinta-feira, 20h05 — em um boteco da Cardeal Arcoverde

-Tem litrão de Brahma?
-Litrão hoje não tem.
-E Original?
- Essa tem.
- Então uma Original e dois copos, por favor.

20h21

- Desculpa o atraso, amiga, me enrolei ali na Consolação.
-Imagina, cheguei faz pouco tempo.
- Me conta, o que é que tá acontecendo?
- Então, vou tentar resumir um pouco porque a história é longa, mas preciso botar para fora. O resumo da ópera é que talvez eu esteja xonada pelo Marcos, e eu acho que vou me fuder.
Tipo assim, a gente saiu no final de semana retrasado. Foi ele que convidou, eu já tinha me prometido que não ia mais chamar ele. Fazia dois meses que a gente não se via, mas nesse tempo até que nos falávamos com certa frequência. Acabou que saímos e foi ótimo, falamos de nos encontrar mais vezes. Sempre nos damos super bem e não acho que seja só pela minha parte.
Aí, dois dias depois, me deu vontade de falar com ele. Fui lá, na boa, e mandei uma mensagem perguntando como estava a semana. Ele respondeu seco dizendo que não estava tão boa assim. Perguntei o porquê, visualizou e não respondeu. Sendo que continuava postando nas redes sociais.
Amiga, não sei sei tô sendo muito louca, muito noiada. Mas parece que ele está dando sinais sutis de que não é para a gente se falar mais, ou que vamos apenas nos falar quando ele quiser. Mas, porra, fiquei chateada. A gente conversava pra caralho e do nada ele resolve esfriar tudo de uma vez.
Eu não sei o que eu faço, me sinto super angustiada, com vontade de perguntar para ele se tá tudo bem, se aconteceu algo, se eu fiz alguma coisa… Eu tô sendo muito louca?
Sinto que estou muito mais apegada do que deveria estar e isso não é uma coisa que acontece sempre comigo. Com o Léo, por exemplo, eu sempre soube que nunca ia além do que a gente tem. Com o Marcos é um pouco diferente, mas eu não tenho mais paciência para esperar a boa vontade dos outros. Saca? Não tenho mais saúde para joguinho, ficar esperando que nem trouxa a resposta dele.
Acho que vou mandar a real para perguntar se ele tá estranho mesmo ou se é só impressão minha. Prefiro fazer isso do que ficar angustiada, pelo menos estarei fazendo algo pra mim, sabe?

Um gole demorado:

- Poxa, amiga. Desde que eu conheço o Marcos ele tava sempre namorando e a gente só comentava os relacionamentos dele quando já estava ruim. Então, na verdade, eu não sei muito bem se ele é boy lixo, esquerdomacho, ou não. Não tenho essas informações.
O que eu acho é que, independente da personalidade dele, eu ainda acredito nessa merda de coisa que nos relacionamentos afetivos sempre tem aquele lance de uma pessoa por cima e a outra insegura. Dificilmente isso está equilibrado.
Para ele não estar te respondendo, pode ser que ou ele esteja realmente muito ocupado, ou ele tenha outra pessoa e você não seja prioridade
O fato é que nós estamos em pleno 2017, com 24 anos na lomba, não dá mais — mesmo — para perder tempo com joguinhos. Você sabe, eu sou muito ciente do estrago que essas merdinhas de WhatsApp podem fazer. A gente acha que não é nada, mas essa ansiedade que você tá sofrendo já faz um puta mal.
É melhor você ir lá e perguntar de uma vez e talvez ouvir um ‘não quero mais nada’ ou um ‘sim, desculpa, fui escroto’ do que você ficar aí no sofrimento.
Na teoria, a gente considera que ele não responder não é nada, mas nós sabemos muito bem como vida real e virtual estão juntas. Ele te ignorar assim é bem chato. Ele não é nenhum homem das cavernas e também sabe que é mancada fazer isso. Sou super a favor de você abrir o jogo.
Eu cobraria uma resposta pelo bem da sua ansiedade. Ninguém merece viver com isso. Deus me livre. Você é mó mulherão da porra. Até too much pra ele.

- Nossa, amiga. Eu só precisava ouvir isso. Obrigada, te amo. Vou mandar mensagem agora.
- Até parece que precisa agradecer, né, amiga. Depois que o Pedro desgraçou com a minha mente de tanto abuso psicológico, tenho plena certeza que não é loucura se sentir mal por causa dessas coisas. Muito menos dizer quando a gente acha que algo não tá legal. A nossa saúde psicológica vem antes de qualquer crush. Falando em crush, você topa rachar uma porção de mandioca frita?

Quer receber mais textos como esse? Siga nossa publicação, fale sobre elas e compartilhe!
Nossa Página no Facebook: Fale com Elas
Nosso Instagram: @falecomelas
Nosso Twitter: falecomelass
Acompanha a Fale com Elas e quer escrever com a gente? Manda um email pra falecomelasesobreelas@gmail.com.
Aceitamos contos, crônicas, entrevistas, resenhas literárias, cinematográficas, textos de opinião. Conteúdo feito por mulheres para quem quiser escutá-las!