Um pouco sobre Veganismo

Thaisa Fernandes⚡
Dec 3, 2015 · 7 min read

As pessoas sempre me pedem mais informações sobre veganismo, desde o que é até onde comer, o que comprar, quais cosméticos usar, etc. Eu sempre tenho uns links que mando por email para as pessoas, mas resolvi fazer um post sobre e retirei algumas informações que considero super importantes do . Espero que gostem ❤

O que é veganismo?

O termo vegan ( vígan) foi criado em , numa reunião organizada por Donald Watson () envolvendo 6 pessoas (após se desfiliarem da The Vegetarian Society por diferenças ideológicas), onde ficou decidido criar uma nova sociedade (The Vegan Society) e adotar um novo termo para definir a si próprios.

Donald Watson definiu o veganismo como um estilo de vida que procura excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração e crueldade com os animais, para alimentação, vestuário e qualquer outra finalidade.

E os testes em animais?

Os testes em animais são parte de uma exploração sem limites, em que animais são mortos e usados para benefício humano. Alguma pesquisadora poderia afirmar que os testes são fundamentais na descoberta de curas e tratamentos, no entanto, nem precisamos entrar em detalhes nessa discussão. Se há descobertas ou não, isso não torna os testes justificáveis do ponto de vista ético. Nossa ciência precisa evoluir em conjunto com a ética e desenvolver meios para produção de curas e conhecimento que não explorem outros seres sencientes (capazes de sentir dor).

O benefício alcançado pelas pesquisas com animais também está sujeita a outros questionamentos. Diversos casos apontam que os testes em animais podem inclusive desacelerar descobertas e levar para caminhos inconclusivos ou mesmo errôneos. Os animais possuem diversas diferenças fisiológicas e respondem de formas adversas a medicamentos. A talidomida, por exemplo, é um medicamento que causa deformação em bebês, quando administrado a grávidas; no entanto, os testes com animais não apontaram esses efeitos negativos. Há inúmeras instituições que pesquisam alternativas para os testes em animais, e apontam métodos éticos que podem ser aplicados hoje mesmo. Porém, é conveniente para a indústria e para alguns pesquisadores que as coisas permaneçam como estão, pois se trata de uma indústria bastante lucrativa; por isso, é importante que as pessoas se conscientizem e se organizem para boicotar os produtos testados. Mais informações no

E as plantas? Elas também não são seres vivos?

Claro que são seres vivos, mas não são seres sencientes. As plantas não são capazes de sentir dor ou prazer porque não são dotadas de um sistema nervoso que lhes proporcione tais capacidades cognitivas. Muitas pessoas questionam o fato de plantas reagirem às intervenções físicas, por exemplo, quando é cortada por uma serra ou comida por algum animal. Essas reações moleculares ou celulares são típicas de qualquer ser vivo em interação com o meio. Mas comparar tais reações com a dor é uma extrapolação falaciosa. A natureza não dota seres vivos com um sistema que não é funcional. Não faz sentido uma planta sentir dor e não pode reagir a esta dor. A sensibilidade é fundamental para os animais, pois alerta ao indivíduo sobre uma ameaça à sua integridade física obrigando-o a reagir.

E se eu consumir ovos, leite e mel de animais bem tratados?

Infelizmente, os animais são utilizados comercialmente para benefício do ser humano, e, é claro, nunca seus interesses são levados em conta. Primeiro por que são comprados e vendidos, reproduzidos para atender uma demanda, usados para extração de algum derivado e no final, todos, mesmo as galinhas de ovos caipira, são mortos para subprodutos da carne. Desta forma, independentemente do tratamento dado, estes animais continuam sendo reduzidos a meros objetos para benefício humano.

Mas… e a saúde?

Torne-se vegana e ainda melhore sua saúde

Uma alimentação vegana, como qualquer outra, precisa de cuidados básicos para que seja saudável e adequada nutricionalmente. Segundo a American Dietetic Association (ADA), diversos estudos relacionam a alimentação vegana à prevenção de doenças. Entre esses estudos, um dos mais abrangentes foi realizado com 11.000 pessoas, e demonstrou que veganos apresentam maior frequência de peso ideal, valores inferiores de pressão sanguínea, de gordura no sangue e de ácido úrico, além de melhor função renal.

Veganos possuem também mais antioxidantes no sangue, que ajudam na prevenção de diversas doenças. Outros estudos relacionam diretamente uma incidência menor de determinados tipos de câncer em pessoas que não consomem carne. Alimentação vegana exclui o colesterol — ao contrário da alimentação ovo-lacto-vegetariana — e incluem maior quantidade de gorduras de origem vegetal, contribuindo para manter baixo níveis do “mau colesterol” (LDL). A alimentação vegana também está relacionada a uma menor incidência de diabetes tipo 2, além de ser indicada como auxílio no tratamento desta doença.

Mas e as proteínas?

Para usufruir dos benefícios que o veganismo oferece, coma boa quantidade diária de cereais, pães e massas, que são ricos em carboidratos e fornecem energia. Alimentos ricos em proteínas, como leguminosas, castanhas, sementes e “bifes” de soja devem ser consumidos em quantidade moderada. Frutas e vegetais à vontade — em especial brócolis, couve, repolho chinês, salsa, hortelã e cebolinha — que são ricos em cálcio. Óleos vegetais devem ser consumidos de forma restrita, preferindo-se os óleos extravirgens por serem mais saudá- veis. Vale a pena ressaltar que quanto mais colorido o prato, mais saudável!

O consumo de proteínas, ao contrário do que muitos pensam, não é um problema na alimentação vegana. Fique tranquila, pois você não irá morrer por falta de proteínas, praticamente tudo o que comemos tem alguma quantidade de proteína, e as pessoas que morrem por falta são as que estão abaixo da linha da probreza e não tem realmente o que comer.

Apenas tome o cuidado de ingerir, durante o dia, aminoácidos provenientes de diferentes alimentos, tais como grãos e leguminosas. Antigamente, acreditava-se que esse consumo deveria ser feito na mesma refeição, mas hoje já foi provado que se consumirmos feijão no almoço e arroz no jantar, a síntese das proteínas será realizada e cientemente.

Toda alimentação balanceada precisa de alguns cuidados. Preste atenção nessas dicas que vão lhe auxiliar numa alimentação vegana saudável:

  • Para aumentar a absorção de ferro obtido a partir de vegetais folhosos verde-escuros e de leguminosas, recomenda-se que seja ingerida também uma fonte de vitamina C (por exemplo, a laranja), pois esta vitamina favorece a absorção do ferro;
  • Dê sempre preferência ao consumo de alimentos integrais, ricos em zinco;
  • A vitamina D é importante para a absorção de cálcio e pode ser obtida através de alimentos fortificados ou da exposição moderada ao sol (nos horário recomendados). A prática de atividade física também é importante, pois aumenta a  xação de cálcio nos ossos;
  • Dê sempre preferência aos óleos ricos em ômega 3, como o óleo de linhaça (ou a semente in natura) e óleo de canola;
  • Tome um suplemento de vitamina B12 (cianocobalamina), isso é essencial. A International Vegetarian Union (IVU) recomenda uma cápsula de 2.000 mcg por semana 10. Existe também a B12 injetável, que pode ser receitada por uma médica. Mas antes consulte um médico ou nutricionista confiável.

Alimentação vegana bem planejada “são adequadas a todos os estágios do ciclo vital, inclusive durante a gravidez e a lactação”


Para veganos, as únicas fontes confiáveis de B12 são suplementos orais ou injetáveis e alimentos enriquecidos. No Brasil, há alimentos enriquecidos como alguns cereais matinais, achocolatados e leites de soja, mas infelizmente esta ainda não é uma prática muito difundida. Vale lembrar que hoje alguns alimentos já são enriquecidos com nutrientes, inclusive através de leis, como é o caso do sal de cozinha (que contém iodo) e da farinha de trigo (que contém ferro e ácido fólico). Alimentos fermentados e algas, que muitas vezes são divulgados como fonte de B12, possuem apenas análogos dessa vitamina. Essa “falsa” B12 não é absorvida pelo nosso organismo por possuir uma forma quí- mica diferente da vitamina B12 “verdadeira”. Portanto não deixe de suplementar a B12!

Links Úteis

Alguns links que eu considero úteis divididos por temas

Veganismo






Dicas de cosméticos



Empresas que nao testam em animais



*não confie 100% na lista da PETA pq a empresa pode não fazer testes em animais e não ser necessariamente vegana e/ou pertencer a uma empresa maior que faz testes de animais. Esse fala um pouco sobre. A minha dica é procurar na lista da PETA e depois conferir no Google se a marca faz parte de alguma multinacional que vende pra China (se sim, a empresa faz testes, pois a China exige que seus produtos sejam testados em animais) e procure em sites veganos também, comunidades do Facebook, fóruns, com o tempo você vai aprendendo mais e mais, e essa tarefa começa a se tornar mais fácil.

Grupos de Facebook




Filmes

O Vista-se tem com filmes relacionados aos Diretos dos Animais, vale super a pena conferir. Os que eu recomendo começar assistindo são:



“If you care about animals, there is one and only one choice: go vegan. Can you choose not to be vegan? Sure. You can choose not to care.” — Gary Francione


Gostou do texto?

Se este post foi útil, por favor, clique no botão de “❤” abaixo! Obrigada :) Recomende para que mais pessoas o leiam. Ou não!
Você pode acessar o para mais conteúdo como este.

Aproveite para me seguir nas redes sociais:
Me siga no | |

feito com o ❤

viagens, cachorros, gatos, e comida

Thaisa Fernandes⚡

Written by

Product Manager and a perfectionist in recovery, willing to make more mistakes to validate my learnings.

feito com o ❤

viagens, cachorros, gatos, e comida