Alunos e colaboradores doam sangue em campanha da Faculdade Politécnica

Projeto tem parceria do Hemocentro Regional; mais de 100 pessoas compareceram

European Parliament (CC BY-NC-ND) / Foto ilustrativa

Publicado originalmente no site da Faculdade Politécnica.

Enquanto muitos ainda nem tinham acordado, dezenas de pessoas já estavam na Unidade Karaíba da Faculdade Politécnica para uma nobre missão: salvar vidas.

No último sábado (13/06), a partir das 7h da manhã, alunos e colaboradores participaram da campanha de doação de sangue promovida pela Politécnica em parceria com o Hemocentro Regional de Uberlândia. Foram 108 candidatos a doação e 76 bolsas coletadas.

A aluna Ionara Gonçalves, do curso de Gestão Financeira, saiu cedo de Araguari para participar da campanha. “A gente não vê hora, não vê que é de outra cidade, não vê dificuldade: a gente só vem. É só um dia, e o que é um dia para vir aqui rapidinho e doar? A gente nunca sabe quem pode estar precisando”, afirma a aluna.

“A parceria firmada com a Politécnica é de extrema importância para divulgação da necessidade e importância da doação de sangue. O reflexo de ações como esta é a melhora de nossos estoques. Temos que agradecer pela oportunidade, em nome de todos aqueles pacientes que serão salvos”, destaca Ludmilla Martins, da equipe de Captação de Doadores do Hemocentro.

Para o professor Aldemar Cruz, coordenador da campanha, o sentimento também é de gratidão. “A nossa campanha foi realizada com muito sucesso. Aproveito a oportunidade para agradecer a todos que colaboraram — equipe administrativa, doadores, alunos voluntários, equipe do Hemocentro — pelo comprometimento e vontade de ajudar. O sucesso é atribuído a todos vocês”.

Alunos da Politécnica também participaram como assistentes voluntários, dando apoio para a execução das ações.

“Dizer obrigado a todos os presentes neste evento não é o suficiente para agradecer a retribuição e gesto de solidariedade de cada um que contribuiu para salvar inúmeras vidas”, diz a voluntária Franciele Martins, aluna de Ciência Contábeis.

“Não nego que, quando aceitei participar como voluntária, foi para conseguir as horas complementares. Mas adorei ajudar o próximo e agradeço essa oportunidade, foi muito gratificante”, conta Bruna Santos, também do curso de Ciências Contábeis.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Felipe Saldanha’s story.