Apego a linguagem é prejudicial?

Acredito que todos desenvolvedores em algum ponto da sua vida já foi defensor de uma linguagem, talvez pelo comodismo ou talvez por realmente achar que encontrou o santo graal da programação em uma única linguagem.

No artigo de hoje vou mostrar com alguns exemplos o motivo de isso ser tão ruim no momento em que estamos tentando resolver um problema.

Recentemente um cliente me perguntou se seria possível converter um arquivo pdf para excel. Bom, respondi que desde que o arquivo contivesse texto e não imagens não seria díficil. Acertei? Claro que não, quando respondi essa pergunta dessa forma não vi que meu grande problema não seria converter o arquivo e sim a formatação na qual o arquivo viria.

Tentei por várias horas utilizar C# para conseguir converter o arquivo corretamente de texto, extraído usando algumas ferramentas da internet, para o excel. Percebi que estava gastando muito tempo para isso, lembrando que o problema maior era a variação dos formatos dos textos dentro do arquivo.

Acreditem se quiser mas a solução estava no próprio excel, usando vba. Algo que não me lembro de ter usado. Muitos pensariam que seria muito fácil continuar fazendo várias validações em c# mesmo. Resolvi ler um pouco e tentar resolver o problema de outra forma.

A questão é não existe a solução perfeita no processo de desenvolvimento de software. Devemos sempre pensar em várias formas de resolver os problemas com aquilo que temos no momento. A linguagem não deve ser uma barreira e sim facilitadora. Portanto, respondendo a pergunta do título, sim ter um apego demasiado a uma linguagem especifica pode ser prejudicial.

Já que quando você se apega a uma solução um mundo inteiro de outras possibilidades se fecham ao seu redor.

Saia da zona do conforto, leia coisas novas, ou velhas no caso. Mas não fique parado.

Até a próxima!