Vamos tomar um banho na chuva?

A semana passou tão lentamente, que eu mal pude perceber que já era sábado, depois de ter passado os últimos dias sendo massacrado pela rotina, e não conseguir conciliar minha correria cotidiana com o meu desejo te ver. Mesmo que não tenha faltado assunto, nas muitas mensagens trocadas pelo WhatsApp, por sms ou até mesmo naquelas ligações quase intermináveis um pouquinho antes da hora de dormir. O teu abraço já se fazia distante, e o brilho dos seus olhos já era saudade, na verdade tudo em você era saudade dentro de mim.

Acontece que eu mal entrei nessa casa dos vintes e tantos, e já me vejo completamente sem tempo para viver grandes paixões, é como se o amor estivesse ficado em algum lugar no seu tempo em que eu era adolescente. Parece que essa coisa de ter que trabalhar para pagar conta e ainda estudar para não morrer pagando a mesmas contas, tira todo o brilho dessa parte da vida.

As semanas seguem mecânicas, o despertador sempre me expulsa da cama no mesmo horário, mau levanto e já me sinto como se o piloto automático estivesse ligado, o banho segue um ritual, me arrumo da mesma forma, coloco os fones nos ouvidos, mergulhando na solidão das minhas músicas, seguindo para o trabalho sem nem ao menos me dar o trabalho de olhar o mundo ao meu redor. A cidade me parecia cinza e monótona, os dias seguiam vazios e iguais, eram aqueles em que eu precisava de fé para chegar até o fim. O trabalho não dava prazer e as pessoas envoltas até irritavam. Mas era só meu celular vibrar com uma mensagem sua, que todo o meu corpo vibrava junto, era como se você me desse uma sacudida, só para mim lembrar que ainda existe vida.

O sábado agora me parecia uma plena pausa, e o estresse do dia a dia dava lugar a distrações, minhas preocupações cotidianas como os trabalhos e relatórios, as provas e outras tantas coisas, davam lugar ao medo de me atrasar nesse encontro, eram aproximadamente 16 horas da tarde e lá estava eu me arrumando cuidadosamente com a intenção de causar uma boa impressão. Estava tudo pronto, já tinha comprado os ingressos do cinema, pensado num restaurante legal para depois do filme quando do nada o tempo se fecha e uma daquelas chuvas torrenciais do verão vem para pôr em agua abaixo todos os nossos planos. Mal tive tempo de ficar triste e uma mensagem tua me surpreende.

- E aí vamos tomar um banho na chuva?

Mais uma vez uma mensagem tua, fez meu dia valer a pena.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.