A ciência explica: por que o Instagram te faz mais pobre e menos feliz?

Lilian Byrro
Apr 25, 2017 · 4 min read

Vamos começar esclarecendo as coisas: o Instagram é uma ferramenta de marketing poderosa.

Com mais de 500 milhões de usuários ativos, as maiores marcas do mundo têm visto o Instagram como uma plataforma essencial. Haja visto que mais de 90% das 100 Top Marcas do mundo estão presentes no Instagram, 7 das 10 hashtags mais usadas no ano de 2016 são de marcas e que 65% dos posts de melhor performance do Instagram mostram produtos (fonte: simplymeasured.com).

Então, por mais que você insista que usa o Instagram para ver seus amigos, podemos concordar que o Instagram te usa para vender.

E qual o mal disso? Bom, aparentemente, nenhum, mas quero te provar nesse post que o Instagram tem grande potencial de te deixar mais pobre e menos feliz. Quer ver?

Por que o Instagram te deixa menos feliz?

Quem responde essa é a Teoria do Prospecto, mais especificamente, o que ela fala sobre a curva de utilidade. Antigamente, acreditava-se que a satisfação das pessoas com o que elas tinham/consumiam dependia do nível de patrimônio/consumo. Porém, o que a Teoria do Prospecto nos mostra é que, na verdade, a satisfação é relativa e depende do ponto de referência.

Por exemplo, se você morou a vida inteira em um apartamento pequeno, digamos, de 60m², ao se mudar para um maior, de 150m², você provavelmente sentirá uma imensa satisfação. Porém, uma pessoa que morou a vida toda em uma mansão de 450m², iria ficar extremamente insatisfeito de morar nesse mesmo apartamento. O nível de riqueza é o mesmo, mas os pontos de referência são diferentes.

Mas, o que isso tem a ver com o Instagram?

Quando você usa o Instagram de forma recorrente, como parte da sua rotina, você passa a conviver com a “realidade” de outras pessoas. Digo “realidade” entre aspas porque todos sabemos que há certa distorção do que efetivamente é a vida de qualquer pessoa. Mas, enfim, o fato é que você passa a conviver com aquela realidade e, inevitavelmente, a comparar a sua vida com aquela. No início, você até pode não se incomodar, mas, com o tempo, o seu ponto de referência vai mudando.

Isso vale para tudo: consumo de forma geral, viagens, rotina e até aparência física. De repente, você começa a acreditar que aquilo que você vê no Instagram é a referência e que você está muito abaixo do esperado.

Dessa forma, o que antes te causava satisfação passa a não ser suficiente e você, então, fica menos feliz.

Por que o Instagram te deixa mais pobre?

Para essa parte, existem duas respostas. A primeira, está vinculada com o elemento acima de se conectar com alguém que você admira e que gostaria de ser igual e acreditar, de forma inconsciente, que tendo as mesmas coisas você ficará mais perto de ser essa pessoa. Um filme muito interessante sobre isso chama “The Joneses” (ou “Amor por contrato”, em português) e eu indico muito que vocês assistam!

A segunda resposta está vinculada com a tentação e a capacidade de auto-controle. A ciência determina a tentação como o impulso de consumir algo que em nenhum outro instante você consideraria importante. É um movimento que te impede de agir de acordo com o que você realmente quer para a sua vida.

O que se tem descoberto é que ceder à tentação depende de diversos fatores, mas, um deles é a força interna para resistir. E assim como uma força física, caso você realize o mesmo esforço durante muito tempo seguido, o seu organismo acaba cansando e fica impossível resistir.

Ou seja, se você está constantemente exposto a essa tentação, a probabilidade é que alguma hora você vai acabar cedendo, mesmo sem querer.

Ceder à tentação não só te deixa mais pobre, mas é uma atitude que vai contra o que você realmente quer e que, consequentemente, te deixa mais infeliz.

Por isso, sugiro ficar atento e se perguntar o que essa plataforma está te proporcionando mais: um prazer imediato ou uma tristeza permanente.

Inscreva-se aqui para receber mais dicas sobre finanças e nos acompanhe também no instagram!

Finanças Pessoais

Para quem quer mandar no dinheiro e não o contrário.

Finanças Pessoais

Para quem quer mandar no dinheiro e não o contrário.

Lilian Byrro

Written by

Professora de Finanças

Finanças Pessoais

Para quem quer mandar no dinheiro e não o contrário.