Vai empreender? Essas 6 dicas podem salvar o seu negócio!

Ao longo da minha vida profissional, acompanhei diversas realidades empresariais diferentes.

Como consultora, atendi pequenos consultórios médicos e pequenas empresas. Como analista de um fundo de investimento de seed capital, acompanhei empreendedores e start up’s ao longo do tempo. Em minha própria empresa, verifiquei os desafios da gestão financeira. Além do acompanhamento, auxílio e aconselhamento de diversos alunos, amigos e conhecidos que se aventuram pela selva empreendedora.

Observando essas realidades, listei as principais dicas financeiras que tenho para quem quer empreender ou já é um empreendedor.

1 Antes de começar, faça uma reserva.

Se você está planejando abrir sua empresa e está naquele processo de verificar o que é mesmo necessário, não se esqueça de preparar a sua reserva financeira. Abrir uma empresa custa dinheiro, mesmo que você não tenha que aportar nenhum centavo nela. Você precisa sobreviver e a empresa precisa de tempo para dar certo. Por isso, você precisa de fôlego. Se sua condição financeira obriga que sua empresa dê certo em seis meses, seu risco é extremamente alto e a chance dela não dar certo também. Agora, se você conseguir alongar esse prazo, aumenta seu espaço de manobra, seu tempo para aprendizado e suas possibilidades.

2 Diminua ao máximo o burn rate

Essa dica tem relação com a anterior. Considerando que o dinheiro é limitado, uma segunda forma de ampliar o seu prazo disponível é diminuir o seu burn rate ou taxa de queima de caixa. Isso vale tanto para as despesas da empresa quanto para as pessoais. Uma diminuição de 30% nas suas despesas, por exemplo, significa um aumento de 43% no prazo de duração do seu caixa.

3 Separe o pessoal do empresarial

Quando eu falo que é essencial separar as finanças pessoais da corporativa, muita gente me justifica dizendo que não possui empresa formal ainda, que não tem conta empresarial, etc. Mas, isso não é fator decisivo. Caso não haja necessidade de ser contábil e oficial, a separação pode ter meros fins gerenciais. Porém, ela é essencial para se ter um controle tanto da situação financeira da empresa quanto da situação financeira pessoal. Ter contas correntes diferentes é uma vantagem porque elimina a necessidade de acompanhamento constante. Porém, em qualquer caso, é necessário disciplina para não acabar misturando as coisas.

A separação do pessoal com o empresarial não significa que você não pode “tirar dinheiro da empresa” ou “emprestar dinheiro para a empresa”. É simplesmente um esforço de manter registro dessas transações. Muita gente vai “rolando” a empresa sem saber se ela realmente está dando resultado.

4 Não invista pesado no instante zero

Essa dica é um pouco controversa, mas está vinculada com a ideia de investir em situações menos incertas. Claro, empreender, de forma geral, já é um grande risco e exige apostar no futuro. Porém, de forma geral, os empreendimentos demoram para “dar certo” e é preciso acertar o rumo algumas vezes até achar o melhor caminho. Por isso, verifique a necessidade real de se iniciar o empreendimento com um investimento de grande porte e projete formas de diluí-lo ao longo do tempo. Os próprios fundos de investimento têm mecanismos para garantir que o aporte total não seja realizado de imediato.

5 Mantenha uma reserva dentro da empresa

Essa e a próxima dica são para empreendedores que já estão ganhando dinheiro. Um cuidado que é interessante tomar, principalmente se o seu mercado é bastante instável, é o de manter uma reserva financeira dentro da empresa. Essa reserva cumpre o objetivo de suprir as despesas em momentos de baixa receita, fazendo desnecessário o aporte de capital por parte dos sócios.

Embora pareça algo bobo, imagine a situação na qual a sua empresa não tem dinheiro para pagar o seu prolabore e você ainda se vê obrigado e colocar dinheiro nela para pagar outras contas. Esse aporte costuma ser mais dolorido do que a decisão de distribuir um pouco menos de capital.

6 Poupe para as vacas magras

O conceito de reserva dentro da empresa também vale para a pessoa física. A vida como empresário costuma ter grades variações e, por isso, o ideal é resistir à tentação de considerar que seu prolabore ou distribuição de lucros se manterá constante ou crescente ao longo do tempo.

Quanto mais você consegue manter suas despesas pessoais controladas, mais tranquilidade você tem para trilhar o caminho no qual você acredita.

E você? Quais cuidados têm tomado na hora de empreender? Conte-nos abaixo!


Inscreva-se aqui para receber mais dicas sobre finanças e nos acompanhe também no instagram!