Fronteira da Vida

Linha tênue entre dois extremos
A vida passa entre esse turbilhão
O caos na mente é devastador
E a auto-destruição é a lei

A voz interior que clama
Nessa fronteira emocional
É algo que puxa para baixo
E me destrói em pedaços

A euforia instantânea é passageira
Assim como a profunda tristeza na qual me afundo
E tudo se confunde num emaranhado de sentimentos
O que resta é só o vazio da alma

A noite chega e traz mais intensidade a tudo isso
A vontade de sumir fica mais forte
E sinto o fio da vida ficar mais frágil
Vendo o mundo por essa linha tênue

Encontro-me na fronteira
Sempre no limite de todos os sentimentos
Todos passageiros, tão intensos e velozes feito um furacão
E sinto em minha mente esse vulcão em erupção

Espero pelo dia onde em minha mente terei paz
Encontro-me sempre na fronteira
Nessa linha tênue entre a vida e a morte
Talvez ainda em vida consiga me sentir completa… um dia.